Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Anvisa autoriza apreensão de falsos autotestes para Covid-19; saiba identificar

Venda de autotestes em plataformas de comércio eletrônico ou por meio de grupos de mensagem também está proibida

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta sexta-feira, 4, a determinação de apreensão de autotestes para detecção de Covid-19 falsificados, bem como a proibição da fabricação, importação, comércio, distribuição e propaganda dos itens. De acordo com o órgão, para evitar cair em golpes, os consumidores devem adquirir os autotestes somente em farmácias e drogarias.

O produto falsificado não traz nenhuma garantia de funcionamento ou de segurança para o consumidor. Dessa forma, é fundamental que o consumidor adquira apenas autotestes registrados na Anvisa. O produto original é registrado pelo nome Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno. O item é fabricado pela empresa CPMH (Comércio e Indústria de Produtos Medico) Hospitalares e Odontológicos Ltda, sob o CNPJ nº 13.532.259/0001-25.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Como saber se o autoteste é falso

Segundo a Agência, o produto falsificado possui algumas características diferentes do produto original. Essas diferenças podem ser identificadas pelo consumidor ao observar a embalagem do produto:

  • Presença de guia ilustrado explicando como realizar a execução do teste no verso da embalagem. O produto original não possui guia ilustrado.
  • Número de registro diferente do aprovado. O número do registro do produto original registrado na Anvisa é 80859840213.
  • Tampa de rosca sem orifício para gotejamento. O original possui uma tampa com orifício para gotejamento.
  • Swab cotonete maior do que 9cm. O swab cotonete do produto original possui 9cm.

Como adquirir produtos originais

De acordo a Agência, a venda do autoteste em plataformas de comércio eletrônico ou por meio de grupos de mensagens também está proibida. Apenas sites de comércio eletrônico que pertencem a farmácias e estabelecimentos de saúde autorizados e licenciados pelos órgãos de vigilância sanitária podem vender esses produtos

Consulte aqui se a farmácia ou drogaria encontra-se autorizada pela Anvisa.
Confira aqui para checar se o produto adquirido está na lista de produtos para autoteste de Covid aprovados pela Agência.

O consumidor também pode consultar o produto por meio das informações do rótulo, como nome ou número de registro da Anvisa. Para isso, basta clicar aqui

Denúncias

Em caso de identificação de possíveis fraudes no comércio de autotestes, a Anvisa recomenda que órgão de vigilância sanitária mais próximo seja contatado o mais rápido possível. A recomendação também é válida para a propaganda irregular, ou oferta de produtos sem registro, bem como de comércio virtual de produtos irregulares.

Para denunciar, acesse os sites das Vigilâncias Sanitárias e da Ouvidoria da Anvisa.

É necessário que o consumidor forneça todas as informações disponíveis, como o nome do produto, do fabricante, do local de aquisição, nota fiscal. Além disso, se possível, uma amostra do produto para que as irregularidades sejam apuradas.

Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar