Participamos do

PEP e PrEP: onde e como acessar profilaxia contra HIV em Fortaleza?

As Profilaxias Pré-Exposição (PrEP) e Pós-Exposição (PEP) são medicamentos que servem para impedir a entrada do vírus HIV no organismo humano antes e depois de um possível contato, respectivamente. Confira onde e como encontrar a prevenção em unidades de saúde de Fortaleza
20:32 | Out. 05, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desde o reconhecimento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) como uma doença, em 1981, e o surgimento do nome Vírus da Imunodeficiência Adquirida (HIV), cinco anos depois, diversos avanços científicos foram alcançados em busca do controle desta infecção. Por ano, o HIV mata cerca de 690 mil pessoas em todo o mundo, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU).

Exemplos dos avanços científicos ligados ao HIV são as Profilaxias Pré-Exposição (PrEP) e Pós-Exposição (PEP). Respectivamente, são tratamentos medicamentosos que servem para impedir a entrada do vírus do organismo humano antes de um possível contato, e depois de um contato. Em termos comparativos, a PrEP funciona como um anticoncepcional e a PEP, funciona como uma “pílula do dia seguinte” do HIV.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Profilaxia Pré-Exposição (PrEP): como funciona, quem deve utilizar e onde encontrar em Fortaleza

A PrEP “permite ao organismo estar preparado para enfrentar um possível contato com o HIV”, segundo explica o site do Ministério da Saúde (MS), e consiste na tomada diária e contínua de um comprimido. Dois medicamentos (tenofovir + entricitabina) bloqueiam caminhos que o HIV usa para infectar o organismo, por isso a PrEP deve ser tomada diariamente.

A PrEP começa a fazer efeito após sete dias, no caso de penetração anal, e 20 dias para vaginal. O uso da profilaxia deve ser aliado a estratégias paralelas de prevenção, como o preservativo, visto que a PrEP protege apenas do HIV, mas não de outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). O uso do medicamento é indicado, ainda conforme o Ministério, aos seguintes públicos:

  • Homens gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens (HSH);
  • Pessoas trans;
  • Pessoas que trabalham com sexo;
  • Pessoas que têm relações sexuais sem preservativo com alguém soropositivo sem tratamento;
  • Pessoas que não utilizam preservativo com frequência.

No serviço público de saúde de Fortaleza, a PrEP pode ser encontrada nos Serviços Ambulatoriais Especializados no atendimento às Pessoas Vivendo com HIV/Aids (SAEs) localizados nas policlínicas Dr. Lusmar Veras Rodrigues (Jóquei) e Dr. Luiz Carlos Fontenele (Passaré). Quem recebe atendimento precisa passar por exames, incluindo de detecção do HIV e de funções hepática e renal, e por acompanhamento periódico.

“O usuário recebe atendimento da equipe multiprofissional, composta por médico infectologista, enfermeiras, assistentes sociais, psicólogos e farmacêuticos”, explica a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em nota. A PrEP também é fornecida no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) “para parceiros soronegativos de pacientes com HIV atendidos pelo Ambulatório de Suporte de Vida a Imunodeprimidos (SVI) da unidade”.

Homens que fazem sexo com homens, casais sorodiscordantes, profissionais do sexo e usuários de drogas ilícitas são o público-alvo do fornecimento de PrEP do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), ligado ao Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Ceará (UFC). Uma ilha ambulatorial atende os pacientes às quintas-feiras, de 7 às 12 horas. As pessoas passam por abertura de prontuário, avalições de critérios e outros procedimentos.

Segundo Ruth Araújo, infectologista responsável no HUWC, a PrEP "é uma importante ferramenta no contexto de controle dos casos de HIV/Aids, quebrando o ciclo de transmissão. Apesar do uso do medicamento, orientamos o uso de preservativos, pelo risco de outras infecções sexualmente transmissíveis". Ela explica que, após uma consulta inicial, os pacientes têm retorno após 30 dias e acompanhamento a cada três meses.

Quanto a efeitos colaterais dos medicamentos, Ruth explica que eles "são muito bem tolerados", porém é importante um monitoramento do rim. "A cada retorno vemos a função renal", diz. "Outro risco que ocasionalmente observamos é um aumento na incidência de outras ISTs, porque muitos insistem em não usar preservativo. Daí a importância de reforçarmos sistematicamente essa prática", conclui.

No Hospital São José (HSJ), a PrEP é fornecida sob demanda através do chamado Projeto Combina. São atendidos caso de violência sexual; relação sexual desprotegida (sem o uso de preservativo ou com rompimento do preservativo); acidentes de trabalho com instrumentos perfurocortantes ou contato direto com material biológico. Interessados podem participar do Projeto através do telefone (11) 94701-5248 (WhatsApp e ligações). Na pandemia, o HSJ passou a acompanhar seus pacientes a cada quatro meses, e não mais trimestralmente.

Profilaxia Pós-Exposição (PEP): como funciona, quem deve utilizar e onde encontrar em Fortaleza

A PEP “tem por base o uso de medicamentos antirretrovirais com o objetivo de reduzir o risco de infecção em situações de exposição” ao HIV, segundo o Ministério da Saúde (MS). O uso da PEP é considerado uma urgência médica, por isso deve ser iniciado o mais rápido possível, preferencialmente nas duas primeiras horas após uma possível exposição; no máximo, até 72 horas depois. Nessa profilaxia, os comprimidos são tomados por 28 dias e o paciente é acompanhado pela equipe de saúde responsável até depois desse período.

Em Fortaleza, a PEP é fornecida no Hospital São José para casos de violência sexual, relação sexual desprotegida, acidentes de trabalho ou contato direto com material biológico. Especificamente vítimas de violência sexual podem receber a PEP nos hospitais Gonzaguinha de Messejana, Gonzaguinha da Barra do Ceará e Nossa Senhora da Conceição (Conjunto Ceará).

Ainda, o Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) atende pacientes que tiveram contato com o vírus intra útero das mães que vivem com o HIV. Nesses casos, a PEP é iniciada ainda na maternidade e depois continuada no Hias. Os atendimentos acontecem às quintas-feiras, de 8 às 12 horas, e devem ser agendados pelo número (85) 3256.1648. A unidade de saúde também tem um protocolo formal e amplo para crianças e adolescentes vítimas de violência sexual no Centro de Emergência.

De forma similar ao Hias, a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), que também faz parte do Complexo Hospitalar da UFC, fornece a PEP a mulheres, crianças e adolescentes em situação de violência sexual. O atendimento é feito na emergência da unidade, disponível 24 horas por semana.

Serviço: locais que fornecem PEP e PrEP em Fortaleza

Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)

  • Policlínica Dr. Lusmar Veras Rodrigues (Av. Carneiro de Mendonça - Demócrito Rocha)
  • Policlínica Dr. Luiz Carlos Fontenele (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 5509 - Passaré)
  • Hospital Geral de Fortaleza (R. Ávila Goularte, 900 - Papicu)
  • Hospital São José de Doenças Infecciosas (R. Nestor Barbosa, 315 - Parquelândia)
  • Hospital Universitário Walter Cantídio (R. Coronel Nunes de Melo, S/N - Rodolfo Teófilo)

Profilaxia Pós-Exposição (PEP)

  • Hospital São José de Doenças Infecciosas (R. Nestor Barbosa, 315 - Parquelândia)
  • Hospital Distrital Gonzaga Mota de Messejana (Av. Washington Soares, 7700)
  • Hospital Distrital Gonzaga Mota da Barra (Av. Dom Aloísio Lorscheider, 1130 - Vila Velha)
  • Hospital Nossa Senhora da Conceição (R. 1018, 4ª etapa, 148 - Conjunto Ceará)
  • Hospital Infantil Albert Sabin (R. Tertuliano Sales, 544 - Vila União)
  • Maternidade Escola Assis Chateaubriand (R. Coronel Nunes de Melo, S/N - Rodolfo Teófilo)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags