PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Especialista orienta prevenção para evitar câncer de colo uterino

Saiba onde é possível fazer exames e tratamentos no Ceará

21:14 | 08/09/2020
A paciente  Narijaslas Maria, em atendimento com a especialista Fabiola Vicente  (Foto: Reprodução/Assessoria HMJMA)
A paciente Narijaslas Maria, em atendimento com a especialista Fabiola Vicente (Foto: Reprodução/Assessoria HMJMA)

O Papilomavirus Humano (HPV) pode causar, em mulheres que tiveram contato, lesões no colo do útero que podem se desenvolver para um câncer, se não tratadas adequadamente. A médica ginecologista Fabiola Vicente, do Hospital e Maternidade José Martiniano Alencar (HMJMA), da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), explica que por esse motivo fazer a prevenção é essencial, pois por meio dela é possível detectar as lesões.

Fabiola explica que os exames possibilitam a detecção precoce das lesões e encaminhamento do paciente para um local especializado, como o HMJMA. Ela afirma que na unidade é possível fazer colposcopia, e dar seguimento ao tratamento ambulatorial ou cirúrgico, dependendo do que for necessário no caso. A médica explica que em casos mais leves podem ser acompanhados por consultas ambulatoriais, já que elas apresentam um índice de regressão significativo. Em outros casos, pode ser necessária uma eletrocoagulação da lesão, que não necessita de internação, ou até uma conização, em que é preciso retirar a parte lesionada do útero. A médica explica que por atender mulheres geralmente jovens na unidade, o local procura fazer um tratamento o mais “conservador” possível, para não interferir na fertilidade da paciente.

A dona de casa Narijaslas Maria dos Santos, 40, passou recentemente por uma conização e conta sua experiência. Ela disse que não sentir dor, nada de errado, e foi realizar a prevenção. Durante o exame, teve um sangramento, e a encaminharam para o HMJMA, onde realizou uma pequena cirurgia. A médica Fabiola afirma que os tratamentos são suficientes para eliminar lesões e riscos, e uma nova lesão geralmente só surge se a paciente entrar em contato novamente com o HPV.

A ginecologista afirma que os exames de rotina, realizado como prevenções, podem impedir doenças gravíssimas, que ainda causam muitas mortes no País, tendo maiores chances de cura, sendo benéficos para pacientes. Ela afirma que uma biópsia inicial já pode verificar a possibilidade da existência de um câncer.

O ambulatório do HMJMA de tratamento de lesões de colo de útero funciona de segunda à sexta-feira, no período da manhã. Os pacientes são agendados por meio da Central de Regulação do Estado, e são provenientes de postos de saúde e outras unidades de atenção básica da rede pública.

Prevenções contra o HPV
Por ser considerada uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) de fácil contágio, o uso de camisinhas durante relações sexuais entra como prevenção. A vacina contra o HPV, disponível na rede pública para meninas entre 9 e 14 anos, meninos entre 11 e 14 anos e na rede privada para todos acima de 9 anos,pode prevenir alguns subtipos de vírus. Logo, é importante manter exames de rotina como forma de prevenção.