PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Funcionários do Hospital Municipal de Maracanaú serão capacitados em terapia integrativa Reiki

Reiki tornou-se possibilidade para quem procura, dentre as terapias integrativas, uma complementação no tratamento da Covid-19

13:22 | 25/08/2020
Técnica não envolve contato físico (Foto: Divulgação)
Técnica não envolve contato físico (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira, 26, os funcionários do Hospital Municipal de Maracanaú recebem reikianos do Mundo Akar para capacitação na terapia integrativa. Além da formação, reikianos aplicarão a técnica em pacientes e colaboradores no local. O hospital é uma das unidades do Estado do Ceará que oferta práticas integrativas por meio do Sistema Único de Saúde. No dia 3 de agosto, encerrou as atividades de 36 leitos clínicos destinados ao tratamento do novo coronavírus (Covid-19).

A direção do hospital já utilizava o tratamento em pacientes que estavam internados na unidade. A terapeuta reikiana do Mundo Akar Rossana Schiarantolla conta que quem estava internado avaliou bem a técnica e, a partir daí, surgiu a ideia de capacitar o corpo clínico. "De pronto, nossa sugestão foi atendida. O objetivo é formar os colaboradores para que eles possam aplicar reiki em outros doentes e nos demais colegas de trabalho, formando assim novos reikianos", comentou ela.

Em maio, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) aprovou utilização de práticas integrativas e complementares, como homeopatia, acupuntura, fitoterapia, florais e reiki, no tratamento da Covid-19. As práticas integrativas e complementares, as chamadas PICs, estão no SUS desde 2006. Atualmente, são ofertadas 29 delas, mas a organização dos serviços depende da adesão dos municípios. São atividades que podem ser feitas individual ou coletivamente. As terapias também são reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que orientou aos países a adoção de tais terapias nos seus sistemas nacionais de saúde.

O método terapêutico, o “reikiano”, impõe as mãos em pontos específicos, do topo da cabeça até os pés do paciente, entre eles, os sete centros energéticos do corpo humano, os chamados “chakras”. Com a imposição, o reikiano transmite energia vital e o próprio fluxo energético atua no alívio dos desequilíbrios. Tradicionalmente, a técnica foi inaugurada em 1922 pelo monge budista japonês Mikao Usui. O reikiano, terapeuta iniciado na prática, passa por pontos do topo da cabeça até os pés do paciente. Desse modo, o reikiano transmite energia vital e o próprio fluxo energético atua na cura, ou no alívio dos desequilíbrios.

Não há necessidade do toque das mãos do terapeuta na pele do paciente. Um mestre de reiki faz a “sintonização” de novos reikianos, em um processo que envolve a conscientização de quatro símbolos de cura.

No Ceará, 125 municípios utilizam práticas integrativas no tratamento de pacientes de forma gratuita. Em 2017, foram registrados no Estado 32 mil atendimentos individuais.

Confira os benefícios do reiki

À distância
Diferente de terapias que envolvem o contato físico entre terapeuta e paciente, como a massoterapia e a quiropraxia, o reiki pode ser aplicado à distância. O processo é similar ao da emissão de ondas radiofônicas.

Relaxamento
Ao receber uma aplicação de energia reiki, o corpo do paciente relaxa e o batimento cardíaco atinge o seu nível de repouso, assim como diminui a freqüência respiratória.

Sem contraindicação
A energia Reiki é una, de tripla atividade. Encerra em si mesma a polaridade positiva (yang), a negativa (yin) e a neutra. Por não ser polarizada, é compatível com qualquer outra forma de terapia, tratamento de saúde ou desenvolvimento espiritual.

Expansão
Num reikiano de Nível 3A, a energia da aura pode ser percebida a mais de dois metros de distância. O método Reiki amplia nosso campo áurico, aumentando nossas energias física, emocional e mental.

Sem diagnóstico
A técnica não exige diagnóstico da patologia ou disfunção para que um tratamento seja bem-sucedido. A energia penetra no corpo do receptor e através dos meridianos energéticos e chakras, dirige-se até a causa dos desequilíbrios.