PUBLICIDADE
Saúde
PESQUISA

73% da população fortalezense apresenta obesidade ou excesso de peso

Na Capital, 53,4% dos habitantes estão com excesso de peso e 19,2% obesos

17:12 | 27/06/2018
Pessoas no centro de Fortaleza (Foto: Humberto Mota/O POVO)
A população de Fortaleza está majoritariamente acima do peso, de acordo com a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2017, realizada pelo Ministério da Saúde. Na Capital, 53,4% dos habitantes estão com excesso de peso e 19,2% obesos. A situação é semelhante nas demais capitais brasileiras, que apresentam mais da metade (54%) da população em excesso de peso.

Apesar do resultado preocupante, a pesquisa também revela mudanças de hábitos. Essa é a primeira vez em anos que a prevalência de obesidade e excesso de peso começou a se estagnar e os brasileiros já demonstram práticas mais saudáveis. De 2008 a 2017, o consumo regular de frutas e hortaliças cresceu 4,8%; de 2009 a 2017, a prática de atividade física no tempo livre aumentou 24,1%, e de 2007 a 2017, o consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas caiu 52,8%. 

Para a nutricionista Synara Lopez, o aumento do consumo de frutas e hortaliças ainda não é suficiente para caracterizar uma mudança significativa de hábitos alimentares. “Atualmente, o que se vê é o aumento no consumo de alimentos industrializados em detrimento dos alimentos naturais, o que pode contribuir para essa epidemia”, explica.

A diretora do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, explica que, mesmo com a tendência à estabilidade e com mais pessoas praticando exercícios físicos e consumindo alimentos saudáveis, é preciso permanecer em alerta. “A obesidade e o sobrepeso são portas de entrada para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, que prejudicam a saúde da população e que poderiam ser evitadas”, diz.

Pesquisa 
O Vigitel é uma pesquisa telefônica realizada com maiores de 18 anos, nas 26 capitais e no Distrito Federal, sobre assuntos relacionados à saúde. Para avaliar a obesidade e o excesso de peso, a consulta leva em consideração o Índice de Massa Corporal (IMC), que deve estar abaixo de 25 pontos. Ele pode ser calculado pelo peso do indivíduo em quilogramas dividido pelo quadrado de sua altura em metros (kg/m²).
 
Redação O POVO Online