PUBLICIDADE
Saúde
SONO

Projeto da UFC incentiva cochilo de alunos após almoço para melhorar aprendizado

O Um Minuto de Soneca Já Vale dá espaço para que alunos possam utilizar o intervalo para dormir, defendendo a importância do sono de qualidade para um bom aprendizado

11:45 | 02/05/2018
(Foto: Fábio Lima/ O POVO)
Quem estuda no Campus do Porangabussu da Universidade Federal do Ceará (UFC) tem um lugar confortável para descansar depois do almoço. O projeto Um Minuto de Soneca Já Vale, do Departamento de Enfermagem, destaca a importância do sono para o bom aprendizado. A sala do Laboratório de Práticas Alternativas em Saúde (LabPAS) recebe, de segunda a sexta-feira, entre as 12h30min e 13h40min, cerca de 30 pessoas. Os estudantes tem acesso a colchonetes, travesseiros e cobertores para o descanso. 

Conforme a professora do curso de Enfermagem e coordenadora do projeto,  Ângela Souza, o Um Minuto de Soneca Já Vale funciona desde 2012. Ela conta que o projeto foi criado pela ex-professora do curso Fátima Maciel, que viu a necessidade de local de descanso para os estudantes. “A gente via muitos alunos dormindo no corredor, no chão. Eles iam almoçar e depois não tinham onde ficar”, lembra. 
Ângela relata que a procura dos estudantes pelo projeto é grande, tendo que, em alguns dias, ampliar o projeto para salas próximas devido à capacidade do LabPAS. "Todas as pessoas que usam declaram que depois que começaram melhoraram a concentração", afirma. A procura se estende, segundo ela, até para alunos de outros cursos, como Medicina e Farmácia, localizados no mesmo campus.

A estudante do quinto semestre de Enfermagem, Gabrielle Almeida, 20, e suas amigas do mesmo semestre frequentam o projeto desde que entraram no curso e sempre que podem vão à sala para tirar um cochilo. "A gente passa o dia aqui [na faculdade], é muito cansativo. Então um minuto que a gente tem aqui descansando às vezes faz muita diferença para ir mais disposta e realmente focar na aula".
  
A melhora, para muitos alunos, se reflete também no desempenho acadêmico. "É muito cansativa a nossa rotina, acaba prejudicando o rendimento do universitário. [Com o projeto] melhorou a questão de nota e disposição", conta a estudante Letícia Galvão, 19. "Às vezes eu tô com dor de cabeça porque terminei uma prova, aí eu consigo descansar, ter um rendimento melhor à tarde".

HELOISA VASCONCELOS