PUBLICIDADE
Notícias

Novo medicamento para tratar obesidade em adultos é aprovado pela Anvisa

Sibutramina e o orlistat eram os dois únicos remédios liberados no Brasil para o tratamento da obesidade

11:15 | 02/03/2016
NULL
NULL

Os adultos que lutam contra a obesidade ganharam um novo aliado. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta segunda-feira, 29, um novo medicamento para tratar a doença: o Saxenda.

O remédio tem como princípio ativo a liraglutida, mesmo do Victoza, já usado no país para tratamento de diabetes tipo 2. Ambos são produzidos pelo laboratório dinamarquês Novo Nordisk.

Apenas dois remédios tinham a liberação no Brasil para o tratamento da obesidade: a sibutramina e o orlistat. Médicos brasileiros criticavam a limitação de medicamentos para lidar com o problema.

"A chegada de um novo medicamento para tratamento de obesidade é extremamente bem-vinda, mas isso não modifica em nada a recomendação de que qualquer perda de peso seja baseada em mudanças na alimentação e prática de atividades físicas", disse o endocrinologista Alexandre Hohl, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) ao site G1.

Indicação
O Saxenda será indicado para adultos com índice de massa corporal (IMC) maior que 30 ou maior do que 27 no caso dos que têm ao menos um problema de saúde relacionado ao peso, como: pré-diabetes, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia ou apneia obstrutiva do sono.

Como funciona
O medicamento imita a ação do GLP1, substância produzida pelo corpo que reduz o apetite. Dentre os efeitos colaterais, podem ocorrer náuseas e vômitos. "Os efeitos adversos em geral são transitórios. Um grupo muito pequeno em que o efeito não passa vai ter contraindicação para o uso”, explica o endocrinologista Alexandre Hohl.

O Saxenda deve ser utilizado apenas a partir de uma indicação médica.

Outros aliados
Mais conhecido pelo nome comercial Xenical, o orlistat, diminui a absorção de gordura em 30% e a elimina nas fezes, mas existe uma restrição: não deve ser usado por quem tem dificuldade para absorver nutrientes.

Outra medicação é a sibutramina. Ela dá a sensação de saciedade, mas seu uso foi restrito pela Anvisa pelo risco cardiovascular. O remédio não funciona para todos os pacientes.Cerca de 30% das pessoas respondem muito bem, 40% respondem razoavelmente bem, e 30% não respondem bem.

Redação O POVO Online

TAGS