Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Em evento com evangélicos, Haddad desmente fake news

16:50 | Out. 17, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

Em ato com mais de 200 lideranças evangélicas na manhã desta quarta-feira, 17, em São Paulo, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, e líderes religiosos aliados ao petista tentaram desmentir as fake news difundidas nas eleições 2018. "Muitos de nossos irmãos estão sendo enganados por pastores mal intencionados ou mal informados", disse o pastor Ariovaldo Ramos, líder da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito.

Ele abriu o evento com um trecho do evangelho que diz "nada podemos contra a verdade senão a verdade" e encerrou o ato com uma oração rogando "pelo triunfo da verdade contra a mentira". Em praticamente todas as falas, lideranças religiosas condenaram as mentiras espalhadas nas redes sociais contra o candidato do PT que tinham como público alvo o eleitorado evangélico.

Haddad distribuiu uma Carta Aberta ao Povo de Deus na qual relata sua formação religiosa - seu avô era sacerdote da Igreja Católica Ortodoxa - e também tenta esclarecer as mentiras espalhadas via WhatsApp voltadas ao público evangélico.

"Nenhum de nossos governos encaminhou ao Congresso leis inexistentes pelas quais nos atacam: legalização do aborto, kit gay, taxação de templos, proibição de culto público, escolha de sexo pelas crianças", diz o documento.

O candidato lembrou que em sua passagem pela Prefeitura de São Paulo aprovou normas que flexibilizavam as exigências legais para cultos na periferia da cidade. "Não é uma carta de conveniência", disse o petista. "Além de ter sido educado no cristianismo, escolhi abraçar o cristianismo", completou.

"Estamos tentando acordar os evangélicos para essa realidade do 'fake news', eles estão sendo enganados", disse ao Estadão/Broadcast o pastor Ariovaldo Ramos, da Comunidade Cristã Reformada, que articulou o apoio de evangélicos a Haddad. Ele aponta, no entanto, dificuldades para a campanha do petista. "Não sei se dá para reverter", comentou, ao citar o apoio articulado de grandes igrejas a Bolsonaro e o cuidado que pastores e fiéis estão tendo em se contrapor a essas lideranças.

O pastor Ariovaldo engrossou o coro dos que pedem uma autocrítica do PT após as eleições. "Eles precisam fazer uma revisão da história recente e dizer a todos os eleitores e brasileiros o que aconteceu. Mas agora não dá para fazer isso, agora é hora do embate entre a civilização e a barbárie", disse. Um dos erros de Haddad, disse o pastor, foi ter chamado o bispo Edir Macedo, da Universal do Reino de Deus, de "charlatão". "Ele não entendeu que os evangélicos se unem contra o inimigo comum. Faltou assessoria, isso não se fala nunca."

Em dois longos discursos, Haddad defendeu a separação entre Igreja e Estado, não falou especificamente sobre temas como aborto e acusou Bolsonaro de estar por trás das mentiras espalhadas contra eles, principalmente na última semana antes do primeiro turno.

"Esses dias ele soltou que eu era a favor do incesto. Ele não pensa que eu tenho uma filha de 18 anos que vai à faculdade, que tem a turma dela? Quantos votos ele ganhou com isso?", questionou. O ato reuniu mais de 200 lideranças evangélicas, principalmente de igrejas históricas como Luterana, Metodista, Batista e Presbiteriana mas também neopentecostais, sobretudo da Assembleia de Deus.

O evento teve hinos religiosos, orações, pregações e discursos de diversas lideranças, várias vezes iniciados com expressões como "salve o povo de Deus" e "na paz do senhor". No andar de baixo, uma equipe do PT gravava depoimentos das lideranças.

Haddad admitiu que o objetivo do ato, que inicialmente seria para angariar apoios no meio evangélico, acabou sendo desmentir as fake news. "Não adianta ganhar no tribunal se as pessoas que foram expostas às mentiras não ficarem sabendo da verdade", disse ele.

Segundo o ex-ministro Gilberto Carvalho, a ideia é repetir encontros semelhantes em vários Estados com a presença de lideranças petistas. "Em tese não deveria ser isso. Deveria ser para firmar parcerias, por uma agenda positiva. Mas, dada a conjuntura, não tinha como não darmos um destaque para isso", disse ele.

A campanha do PT avalia que as mentiras espalhadas pelas redes sociais quase levaram Bolsonaro a uma vitória no primeiro turno e são o principal adversário de Haddad na segunda etapa da campanha.

Agência Estado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Barracas da Sabiaguaba são derrubadas para construção de Centro Gastronômico

SABIAGUABA
2021-07-30 20:20:11
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As barracas que estavam alocadas às margens do Rio Cocó, na Sabiaguaba, já não compõem mais o cenário da região. Durante os últimos dias do mês de julho, retroescavadeiras demoliram as construções em mais uma etapa de implementação do novo Centro Gastronômico da Sabiaguaba. O empreendimento ocupará uma área total de 2,49 hectares. Até que as obras sejam concluídas, os 17 barraqueiros que atuam no local deverão receber R$ 5 mil mensais do Governo. 

O projeto de arquitetura do Centro contém 20 quiosques. O Espaço terá capacidade para 70 mesas, além de contar com bancos para contemplação e cobertura retrátil. A previsão da obra, de acordo com o titular da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Arthur Bruno, é de um ano. Os pagamentos, ainda conforme o gestor, começam em agosto.

"Eles vão receber a primeira parcela no mês de agosto. O governador já liberou o recurso e nós estamos tratando agora de toda a burocracia. Os barraqueiros abriram contas específicas para receber os recursos", explica o secretário.

Associação de moradores e comerciantes 

Para Luiza de Sousa Silva, 52, nativa da região e presidente das associações de moradores da Sabiaguaba e dos comerciantes do centro gastronômico, a reformulação é vista com bons olhos.

"Vejo como uma oportunidade, não só para os comerciantes, mas para toda a comunidade. É renda e emprego, além de uma chance de diminuir os impactos ambientais", relata.

A liderança dos nativos relata que o processo de implementação do complexo está ocorrendo em meio a diálogos frequentes do poder público com os moradores.

"A garantia que nos foi dada é boa. Nos deram duas opções quando foram retirar as barracas. Poderiam nos passar containers para trabalhar durante o período das obras ou a ajuda de custo", relata Luiza. Ela explica que a ajuda financeira foi prontamente aceita pelos proprietários das barracas, apenas valores foram discutidos até chegarem aos R$ 5 mil mensais acertados.

Com as obras em andamento, Luiza pensa no futuro e na preservação da região. Ela espera que o novo polo gastronômico seja um primeiro passo rumo a dias melhores para a Sabiaguaba.

"A gente sabia que aquela estrutura prejudicava o meio ambiente, não tínhamos esgoto, nem água encanada. Daqui a dez anos eu espero que o governo nos ampare da especulação imobiliária. Queremos levar o futuro para nossos filhos e para comunidade", afirma.

LEIA TAMBÉM | Altas temperaturas e incidência de radiação solar marcam atual período no Ceará

Obra de R$ 11 milhões

 

De acordo com o valor estimado no edital de licitação, a obra deverá ter um custo de R$ 11.845.622,63. O novo polo gastronômico deverá resolver um antigo problema da região, que não contava com saneamento básico.

"Será feita uma grande reforma na área, vai ter um calçadão, vai ser um Centro Gastronômico totalmente de acordo com legislação, com esgotamento sanitário que não existia até então", explica Arthur Bruno.

Em relação aos 17 barraqueiros que estavam no local e receberão o auxílio durante o período das obras, o secretário esclarece que eles serão realocados no novo espaço, onde cada um receberá um box com mesas em um ambiente sustentável.

O secretário explica que o local deverá passar por adaptações que devem aumentar a distância dos estabelecimentos para o rio. "Com certeza será um dos locais mais bonitos e adequados para o turismo ecológico. A praia vai renascer no entorno do Rio Cocó, porque as barracas chegavam praticamente dentro do rio, e o Centro Gastronômico terá uma certa distância". Com as mudanças, a expectativa é de que o Rio Cocó e a vegetação do mangue ganhem ainda mais vida.

Governo afirma que haverá gestão coletiva

Durante o mês de agosto, a Sema deverá organizar reuniões com os barraqueiros da região, que farão a gestão coletiva do espaço. O objetivo do Governo é alinhar projetos com instituições específicas de capacitação para que o local abrigue cursos de gastronomia.

"Teremos um ano para prepará-los para fazer a gestão coletiva e ecologicamente sustentável do espaço. Toda a preocupação do governo é em dar as melhores condições de trabalho", finaliza o secretário.

Sobre o medo de grandes mudanças no local onde nasceu e cresceu, Luiza de Sousa Silva, 52, nativa da região e presidente das Associações de Moradores da Sabiaguaba e dos Comerciantes do Centro Gastronômico, explica que o sentimento faz parte do processo, mas confia que os frutos serão colhidos no futuro.

"Lógico que a gente sente. Tudo que é novo dá medo. Somos pessoas simples, nativos tradicionais. O medo que temos é de como será receber o turista estrangeiro ou gente da alta sociedade, mas sei que seremos capacitados para isso", conclui. 

LEIA TAMBÉM | PF cumpre mandados em Missão Velha por compra de votos e violação do sigilo da eleição

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Biden anuncia sanção à Polícia Nacional Revolucionária de Cuba

INTERNACIONAL
2021-07-30 20:10:43
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira, 30, sanções à Polícia Nacional Revolucionária (PNR) de Cuba e dois de seus líderes, com o presidente americano Joe Biden afirmando que mais punições serão aplicadas se não houver uma "mudança drástica" na ilha.
Em nota, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou sanções ao PNR, a seu diretor Óscar Callejas Valcarce e a seu vice-diretor, Eddy Sierra Arias, por seu suposto papel na repressão aos protestos antigovernamentais de 11 de julho.
As sanções bloqueiam quaisquer ativos que Callejas, Sierra ou membros do PNR possam ter sob jurisdição dos Estados Unidos e proíbem aqueles nos Estados Unidos de negociar com eles, com base na lei Magnitsky.
O anúncio veio uma hora antes de Biden dar as boas-vindas na Casa Branca a um grupo de americanos de raízes cubanas, reunião em que planejava anunciar medidas sobre o acesso à Internet na ilha e, possivelmente, o envio de remessas para Cuba, um alto funcionário dos EUA disse a repórteres.
"Vamos anunciar medidas para melhorar a conexão à Internet na ilha, para garantir que apoiamos a capacidade das pessoas de se comunicarem e receberem informações, que é algo que deve ser tratado como um direito humano", disse o oficial, que pediu anonimato, em entrevista coletiva por telefone.
Esta é a segunda rodada de sanções que o governo Biden impôs em relação aos protestos antigovernamentais sem precedentes de 11 de julho em Cuba.
Na quinta-feira passada, o Tesouro sancionou o ministro das Forças Armadas Revolucionárias (FAR) de Cuba, Álvaro López-Miera, e uma unidade militar de elite popularmente conhecida como "vespas negras" ou "boinas negras".
Biden disse então que essas sanções eram "apenas o começo" de sua resposta àqueles que supostamente reprimiram os protestos deste mês, e a citada autoridade norte-americana disse nesta sexta-feira que as novas restrições buscam manter ativa "a conversa sobre os direitos dos cubanos". (Com agências internacionais)
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: 40 milhões de pessoas estão totalmente imunizadas no país

Saúde
2021-07-30 20:10:29
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Até esta sexta-feira (30), 40 milhões de pessoas receberam as duas doses ou dose única da vacina contra a covid-19 no Brasil. O número corresponde a mais de 25% do público alvo do Programa Nacional de Imunização (PNI), que inclui 160 milhões de pessoas. Se considerada a população total do país, foram vacinados 18,7% dos habitantes.

Até o momento, de acordo com dados do Ministério da Saúde, foram aplicadas 140 milhões de doses de imunizantes, sendo 99,5 milhões da primeira dose. Foram aplicadas 1,673 milhão de doses nas últimas 24 horas.

Quando levado em consideração os números absolutos de doses, o Brasil ocupava nesta sexta-feira a quinta posição entre os países que aplicaram as duas doses, atrás de China (1ª), Estados Unidos (2º), Índia (3ª) e Alemanha (4ª).

No ranking da BBC, que toma a aplicação do total de doses, independentemente se primeira ou segunda, o Brasil estava na quarta posição, atrás de Estados Unidos (1º), China (2ª) e Índia (3ª).

Mais doses 

O Instituto Butantan entregou hoje (30) mais 1,2 milhão de doses da vacina CoronaVac ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Com esta nova remessa, o instituto totaliza 62,849 milhões de doses fornecidas ao Ministério da Saúde desde 17 de janeiro deste ano, quando o uso emergencial do imunizante contra a covid-19 foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mutirão de vacinação imuniza pessoas de 37 anos no DF.
Mutirão de vacinação imuniza pessoas de 37 anos no DF. - Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Veja mais na TV Brasil

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíada: por vaga na semifinal, seleção pega Egito no futebol

Esportes
2021-07-30 20:10:20
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Brasil e Egito se enfrentam na manhã deste sábado (31), a partir de 7h (horário de Brasília) no Estádio de Saitama, pelas quartas de final do torneio de futebol masculino da Olimpíada de Tóquio (Japão).

Princípio de incêndio paralisa o Metrô do Rio

Geral
2021-07-30 19:56:03
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um princípio de incêndio no sistema de cabos paralisou totalmente o sistema de Metrô do Rio no fim da tarde desta sexta-feira (30). O problema foi entre as estações Central do Brasil e Presidente Vargas, afetando as linhas 1, 2 e 4.

A empresa MetrôRio informou que “houve um problema no sistema de energia das linhas 1 e 4. Por conta disso, a circulação de trens está interrompida em todas as linhas para a atuação dos técnicos de manutenção da concessionária. A orientação é que os clientes utilizem outros meios de transporte. Ainda não há previsão de restabelecimento”.

Pelas redes sociais, passageiros relataram que ficaram parados dentro dos vagões por mais de uma hora, sem poder sair. O serviço transporta cerca 400 mil pessoas por dia. Às 19h10, a empresa informou que o incêndio no sistema elétrico já havia sido controlado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags