PUBLICIDADE
Notícias

Alckmin diz querer manter diálogo com Temer, DEM e Solidariedade

17:40 | 10/05/2018
Pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, o ex-governador Geraldo Alckmin confirmou que pretende agendar uma conversa com o presidente Michel Temer para estabelecer um canal de diálogo entre PSDB e MDB. Além disso, ele afirmou o desejo de manter conversas com DEM e Solidariedade, partidos que também lançaram pré-candidatos ao Planalto.

Lideranças do MDB já sinalizaram que o partido de Temer pode não ter uma candidatura própria. O presidente Michel Temer abriu um canal com o PSDB, o que gerou repercussão entre as pré-candidaturas de centro. Após admitir a possibilidade de apoiar um presidenciável de outro partido, no entanto, Temer declarou nesta quinta-feira, 10, que acha "muito difícil" haver uma candidatura única de centro ao Planalto.

Ao visitar a Apas Show, feira do setor supermercadista na capital paulista, o governor afirmou que procurou o MDB e outros partidos visando um diálogo além de coligação eleitoral. "É importante o diálogo, tenho conversado com quase todos os partidos", disse. O presidenciável disse que ainda vai marcar uma conversa com Temer. Anteriormente, perguntado se já havia agendado o encontro, o tucano desconversou. "Estou tentando marcar um encontro com a Lu (sua esposa) porque faz dois dias que não chego em casa."

O tucano disse que encontrou em um voo o deputado Paulo Pereira da Silva, presidente do Solidariedade, partido que lançou a pré-candidatura de Aldo Rebelo, e combinaram de marcar uma reunião. Além disso, o tucano confirmou que procurou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pré-candidato do DEM, e o prefeito de Salvador, ACM Neto. "Isso, alianças, vai ficar lá pra junho, julho. Independente de ter aliança ou não, é importante conversar. Tem primeiro turno, segundo turno, se ganhar tem governo, tem desafios enormes pela frente. Se não conseguir construir uma convergência, não governa."

Ontem, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles disse que concordaria com uma aliança com o PSDB se os tucanos aceitassem a vaga de vice na chapa. Alckmin, por sua vez, disse não cogitar essa possibilidade. "É sempre importante ter pontes com os vários partidos", acrescentou.

Agência Estado

TAGS
Alckmin diz querer manter diálogo com Temer, DEM e Solidariedade
PUBLICIDADE
Notícias

Alckmin diz querer manter diálogo com Temer, DEM e Solidariedade

17:40 | 10/05/2018
Pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, o ex-governador Geraldo Alckmin confirmou que pretende agendar uma conversa com o presidente Michel Temer para estabelecer um canal de diálogo entre PSDB e MDB. Além disso, ele afirmou o desejo de manter conversas com DEM e Solidariedade, partidos que também lançaram pré-candidatos ao Planalto.

Lideranças do MDB já sinalizaram que o partido de Temer pode não ter uma candidatura própria. O presidente Michel Temer abriu um canal com o PSDB, o que gerou repercussão entre as pré-candidaturas de centro. Após admitir a possibilidade de apoiar um presidenciável de outro partido, no entanto, Temer declarou nesta quinta-feira, 10, que acha "muito difícil" haver uma candidatura única de centro ao Planalto.

Ao visitar a Apas Show, feira do setor supermercadista na capital paulista, o governor afirmou que procurou o MDB e outros partidos visando um diálogo além de coligação eleitoral. "É importante o diálogo, tenho conversado com quase todos os partidos", disse. O presidenciável disse que ainda vai marcar uma conversa com Temer. Anteriormente, perguntado se já havia agendado o encontro, o tucano desconversou. "Estou tentando marcar um encontro com a Lu (sua esposa) porque faz dois dias que não chego em casa."

O tucano disse que encontrou em um voo o deputado Paulo Pereira da Silva, presidente do Solidariedade, partido que lançou a pré-candidatura de Aldo Rebelo, e combinaram de marcar uma reunião. Além disso, o tucano confirmou que procurou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pré-candidato do DEM, e o prefeito de Salvador, ACM Neto. "Isso, alianças, vai ficar lá pra junho, julho. Independente de ter aliança ou não, é importante conversar. Tem primeiro turno, segundo turno, se ganhar tem governo, tem desafios enormes pela frente. Se não conseguir construir uma convergência, não governa."

Ontem, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles disse que concordaria com uma aliança com o PSDB se os tucanos aceitassem a vaga de vice na chapa. Alckmin, por sua vez, disse não cogitar essa possibilidade. "É sempre importante ter pontes com os vários partidos", acrescentou.

Agência Estado

TAGS