Mulher de chefe de facção participou de audiência no Ministério da Justiça

Braço financeiro de organização criminosa, a mulher acompanhava uma delegação com ex-deputada do Rio de Janeiro. Ministro da Justiça negou recepção

A mulher de um chefe de facção criminosa com atuação no Amazonas visitou duas vezes a sede do Ministério da Justiça. Identificada como Luciane Barbosa Farias, ela é braço financeiro da operação comandada pelo marido Clemilson dos Santos Farias, conhecido como Tio Patinhas. As visitas teriam ocorrido em março e maio deste ano, segundo informações divulgadas pelo Estadão e pela jornalista Andréia Sadi, da GloboNews.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Luciane foi recebida pelo secretário Nacional de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Elias Vaz. Ele atendia uma delegação de mulheres a pedido da ex-deputada estadual do Rio de Janeiro, Janira Rocha (Psol). Em nota enviada à Sadi, o secretário confirmou a presença da mulher acompanhada da ex-deputada e repudiou envolvimento com criminosos.

"Ela [Luciane] estava como acompanhante da advogada Janira Rocha, e se limitou a falar sobre supostas irregularidades no sistema penitenciário. Por esta razão, foi sugerido à advogada Janira Rocha que elas procurassem a Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen). Tenho uma longa trajetória parlamentar e política, sempre com a marca da seriedade, e atendi a advogada Janira Rocha e acompanhantes por conhecer a citada profissional e ela desejar falar sobre vítimas de homicídios. Repudio qualquer envolvimento abjeto e politiqueiro do meu nome com atividades criminosas", diz a nota.

Assessores do ministro da Justiça, Flávio Dino, consideraram a situação um erro de Vaz. Nos bastidores, eles apontam que o secretário "deveria ter checado" a lista de convidadas. Dino afirmou que nunca recebeu líderes de facção em seu gabinete.

"Nunca recebi, em audiência no Ministério da Justiça, líder de facção criminosa, ou esposa, ou parente, ou vizinho. De modo absurdo, simplesmente inventam a minha presença em uma audiência que NÃO SE REALIZOU em meu gabinete. Sobre a audiência, em outro local, sem o meu conhecimento ou presença, vejam a história verdadeira no Twitter do Elias Vaz (secretário do ministério). Lendo lá, verificarão que não é o que estão dizendo por conta de vil politicagem", afirmou”.

Considerado um dos mais procurados do Amazonas, Tio Patinhas já havia sido preso em 2018, mas foi solto por uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado. Agora, ele cumpre 31 anos no presídio de Tefé, no estado do Amazonas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

facção criminosa Ministério da Jusitça Flávo Dino Elias Vaz

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar