Participamos do

Campanha nas redes sociais incentiva jovens entre 16 e 17 anos a tirar título de eleitor

Neste ano, o prazo para tirar o documento ou regularizar pendências com a Justiça Eleitoral termina no dia 4 de maio. O processo pode ser feito de forma online
11:10 | Mar. 22, 2022
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A eleição de outubro deste ano já começou a mobilizar ações tendo em vista os prazos estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Alguns atores, incluindo o próprio TSE, já participam de campanhas online para que os jovens entre 16 e 17 anos, faixa etária na qual o voto é facultativo, tirem o título de eleitor e já participem do pleito em 2022.

Neste ano, o prazo para tirar o documento ou regularizar pendências com a Justiça Eleitoral termina no dia 4 de maio. Os jovens que pretendem solicitar o título e aqueles que procuram regularizá-lo, podem fazer o processo de forma virtual (online) preenchendo formulários e apresentando alguns documentos. Vale citar que jovens de 15 anos que terão completado 16 até o dia 2 de outubro (data do primeiro turno das eleições) também podem requerer o documento eleitoral.

Neste mês de março, por exemplo, perfis vinculados à Justiça Eleitoral, de clubes de futebol e de influenciadores digitais participaram de uma campanha para conscientização da importância do título de eleitor focando no público jovem. Segundo o TSE, tendo como base dados do Twitter, 6,8 mil publicações sobre o tema foram postadas durante a ação e alcançaram mais de 88 milhões de usuários.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Entre os destaques estiveram as publicações dos clubes Flamengo e Corinthians e uma página brasileira de fãs do grupo sul-coreano de K-pop BTS.


Passo a passo

O primeiro passo para solicitar o título ou regularizá-lo online é acessar a plataforma Título Net, no site do TSE, e selecionar a Unidade da Federação na qual o eleitor reside. Quem morar no Ceará, por exemplo, seleciona “CE”, residentes de São Paulo selecionam “SP” e por aí vai. Após selecionar o domicílio eleitoral (onde votará nas eleições), o cidadão é encaminhado para uma página onde são apresentados os documentos necessários para realizar o processo online.

São eles: uma fotografia da pessoa segurando um documento oficial de identificação (fotografia do requerente exibindo, ao lado de sua face, o documento oficial de identificação); fotografias do próprio documento de identificação como carteira de identidade, carteira de trabalho ou passaporte; um comprovante de residência atualizado e, no caso dos homens de 18 a 45 anos, o comprovante de quitação de serviço militar.

Na página seguinte, é só informar os dados para identificação. No caso dos jovens que não possuem título, basta selecionar a opção “Não tenho” e preencher os campos indicados. Na tela seguinte, é necessário clicar em “Requerimento – Dados pessoais”, completar as informações solicitadas e anexar as fotografias dos documentos supracitados.

A partir de então, os dados entram na fila de análise da Justiça Eleitoral e o solicitante pode acompanhar o andamento do processo, de forma online, clicando aqui. O TSE destaca que após o processamento dos dados, se não houver pendências, é só baixar o aplicativo e-Título, no celular ou tablet, e utilizar a versão digital do documento.

Com informações do TSE

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags