Participamos do

Lula e Gleisi defendem revogação da reforma trabalhista

Revogada pelo presidente espanhol, Pedro Sanchez, o ex-presidente disse que a medida deve ser "acompanhada de perto" pelos brasileiros por estar recuperando "direitos dos trabalhadores"
16:27 | Jan. 05, 2022
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defenderam a revogação da reforma trabalhista em vigor no Brasil desde 2017. Naquele ano, o então presidente Michel Temer (MDB) promulgou uma reforma trabalhista (Lei 13.467/2017), conjunto de alterações nos dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Nesta segunda-feira, 3, a petista usou as redes sociais para divulgar uma publicação em que defendia como “notícias alvissareiras” a revogação da privatização de empresas de energia na Argentina e da reforma trabalhista espanhola. “já temos o caminho”, completou. 

“A reforma espanhola serviu de modelo para a brasileira e ambas não criaram empregos, só precarizaram os direitos. Já temos o caminho”, escreveu Gleisi.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na tarde desta terça-feira, 4, Lula também escreveu uma publicação em defesa da reforma trabalhista promovida pelo presidente espanhol, Pedro Sanchez. Ele disse que a medida deve ser “acompanhada de perto” pelos brasileiros por estar recuperando “direitos dos trabalhadores”.

A frase acompanhava uma reportagem do jornal Brasil de Fato cujo título é “Espanha revoga reforma trabalhista que precarizou trabalho e não criou empregos”.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente