Participamos do

Zezinho cogita ir para o PP em busca de "mais espaço"

Na avaliação do parlamentar, para se manter como um aliado de primeira hora, seria interessante um acordo que o garantisse um partido o qual consiga mais capital político
21:38 | Jan. 04, 2022
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O deputado estadual Zezinho Albuquerque (PDT) revelou, nesta terça-feira, 4, seu desejo em oficializar sua filiação ao Progressistas (PP) no Ceará durante o período de janelas partidárias. Atualmente, o principal líder da legenda no Ceará é o deputado federal AJ Albuquerque, filho do parlamentar. A questão é delicada, pois, na Câmara, AJ é aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL), opositor politico do presidenciável Ciro Gomes (PDT). 

Ao programa Jogo Político, o parlamentar comentou que qualquer mudança de legenda deve primeiro partir de diálogos com Ciro e Cid Gomes (PDT). Na avaliação de Zezinho, para se manter como um aliado de primeira hora, seria interessante um acordo que o garantisse um partido o qual consiga mais capital político

"Se eu conseguir aqui um partido que a gente tenha tempo de TV, que tenha ajudado o governo, eu tenho que conversar com o Cid, mas essa minha posição pode ser em março. Eu acho que se eu estiver no PP e ajudar melhor o Ceará eu vou para o PP. Graças a Deus eu sou assim, quando eu vou eu vou mesmo. Agora, preciso ser também ouvido, escutado, como são as coisas, porque não estou mais naquela fase, quero ajudar o Ceará", disse o deputado. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A decisão, segundo Zezinho, não significaria um rompimento com os Ferreira Gomes, mas uma alternativa que o garantiria maior poder político diante do seu papel de integrante do arco de aliados do Executivo.

"Hoje temos vários prefeitos, pessoas que nos seguem e que acreditam no que a gente faz, e quero fazer mais pelo Ceará. Conheço o Estado, os distritos, lideranças, deputados e famílias. Isso faz com que a gente queria ajudar cada vez mais", destacou o parlamentar.  

No Ceará, o PP ainda é um dos focos de impasses para definição de candidato à sucessão de Camilo Santana. Os problemas envolvem questões nacionais e locais que precisarão ser resolvidos por lideranças do grupo governista até breve.

O partido também procura se consolidar e viabilizar suas candidaturas diante do fim das coligações partidárias tanto da formação de federações (PT, Psol, PV e PCdoB) quanto da fusão de legendas, como é o caso do União Brasil (integração entre PSL e DEM). 

A posição do diretório estadual do partido diante da escolha para a sucessão de Camilo também deve ser tomada de forma dialogada, defende o deputado. "Se o PP achar que não deve apoiar um candidato a governador que não seja o candidato que ele possa ajudar, que a população queria, então a gente vai procurar um candidato", finalizou Zezinho. 

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags