Participamos do

Assembleia adia discussão sobre regulação de táxi intermunicipal após protesto de topiqueiros

Representantes do transporte complementar se sentiram prejudicados com projeto que autoriza serviços de transporte intermunicipal por taxistas. Reunião da categoria com a Casa Civil deve ser marcada
18:40 | Dez. 15, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), Evandro Leitão (PDT), decidiu adiar nessa quarta-feira, 15, as discussões em torno do projeto de lei sobre as condições para a realização de trajetos intermunicipais pelo serviço licenciado de táxi no Ceará. O motivo foi uma manifestação realizada por representantes de cooperativas e sindicatos de topiqueiros em frete à AL-CE durante a manhã. 

No texto, enviado pelo Executivo, defende-se a oferta de facilidades para que taxistas exerçam a profissão de forma integrada no Sistema de Transporte Público Coletivo Intermunicipal. O documento pretende tirar da clandestinidade os serviços de transporte intermunicipal de passageiros realizado por autônomos providos por taxímetro, devidamente autorizado pelo Município e Estado, sob regime de fretamento eventual.

Segundo a categoria, a mensagem enviada pelo Governo do Estado prejudica o transporte complementar. Em apoio aos manifestantes, o deputado Nizo Costa (PSB) esteve acompanhando a mobilização do lado de fora da Assembleia. Segundo ele, para tentar um acordo, houve um entendimento com o Legislativo para a realização de um encontro entre a categoria e a Casa Civil do Governo. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O deputado disse ainda que uma comissão foi criada para ajudar nas discussões. "Além disso, eles também vieram apresentar algumas reivindicações, como renovação do contrato, permanência dos veículos de transporte complementar e anistia das multas do transporte complementar", completou Nizo. 

 

 

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente