Participamos do

Moro afirma ter dúvidas se Lula e Bolsonaro aceitariam debate com ele

O pré-candidato disse que não pretende adotar uma postura agressiva na campanha e revelou já esperar ser questionado sobre suas decisões na Lava Jato e no governo Bolsonaro
11:26 | Dez. 14, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República, Sérgio Moro (Podemos), afirmou ter dúvidas se o ex-presidente Lula (PT) e o atual chefe do Executivo Jair Bolsonaro (PL) aceitariam participar de um debate com ele nas eleições de 2022. A fala do ex-ministro ocorreu durante participação em evento, nessa segunda-feira, 13, promovido pelo Derrubando Muros.

"Tem que ver se vai ter debate. Eu me disponho a ir, mas tenho dúvidas se o ex e o atual presidente vão se dispor a ir nessa arena", comentou Sérgio Moro. Investido na construção de uma candidatura de "terceira via", o ex-juiz voltou a criticar Jair Bolsonaro, seu ex-chefe, alegando que o presidente "flerta com o autoritarismo" e tem "projeto pessoal de poder".

Ao mencionar Lula, o ex-juiz disse que o petista representa o governo que deixou "os dois maiores escândalos de corrupção da história". Em outra passagem, Moro, que falou dos Estados Unidos, deu sua versão sobre sua decisão de entrar na política e disse que, se na disputa estivessem dois candidatos competitivos de centro, "provavelmente ficaria no setor privado".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Filiado ao Podemos desde o último mês, o pré-candidato disse que não pretende adotar uma postura agressiva na campanha. Ele afirmou que já espera ser questionado sobre suas decisões na Lava Jato e no governo Bolsonaro, que integrou como ministro da Justiça. "Essa campanha vai ter um componente sobre o passado. Algumas pessoas são críticas em relação a algumas decisões que eu tomei, mas tenho tranquilidade, tanto no caso da Lava Jato como no Governo. Às vezes foram decisões difíceis, mas estou pronto para defendê-las", disse.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags