Participamos do

Bolsonaro atribui queda do Magalu a reflexo de "socialismo"; Luiza Trajano rebate

Nesta segunda-feira, 22, a empresária resolveu responder Bolsonaro, na Assembleia Legislativa da Paraíba. Ela afirmou que é a favor da distribuição de renda e "se isso é ser socialista, eu sou sim"
15:03 | Nov. 23, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta segunda-feira, 22, em conversa com apoiadores, a empresária Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza. Sem citar nomes, o chefe do Executivo afirmou que "não existe empresário socialista", mas que existia uma exceção. “Tem uma mulher [empresária] que é socialista, mas não falem o nome, que perdeu R$ 30 milhões quando anunciou amor pelo nove dedos”, disparou, também em referência ao ex-presidente Lula. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo informações do Estadão, as ações da empresa, que fecharam 2020 com valorização de 104%, acumulam queda de 64,18% em 2021. Os papéis estão cotados a R$ 9,01 e caíram 2,59% até a tarde desta segunda-feira. Segundo o balanço do terceiro trimestre, o lucro ajustado de julho a setembro somou R$ 22,6 milhões, quase 90% de queda ante os R$ 215,9 milhões reportados um ano antes.

No relatório, o Magazine Luiza explicou que “a performance das lojas físicas foi impactada pela piora dos indicadores macroeconômicos como o aumento da inflação e da taxa de juros”. Em setembro, a revista norte-americana Time divulgou sua lista com as 100 pessoas mais influentes de 2021, que inclui a empresária brasileira. Citada na categoria "Titãs", ela teve o texto de apresentação assinado pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Após ser considerada um possível nome para integrar a chapa do petista como vice, Trajano descartou uma possível carreira política. Ela, no entanto, pretende integrar projetos sociais, como o programa Unidos pela Vacina, que reúne empresários e executivos que auxiliam na distribuição de imunizantes pelo País.

Nesta segunda-feira, 22, a empresária resolveu responder Bolsonaro. Na Assembleia Legislativa da Paraíba, ela afirmou que é a favor da distribuição de renda e “se isso é ser socialista, eu sou sim”.

"Eu não tenho o que falar. Eu nunca estive com o presidente Lula, nunca fui convidada para ser vice [presidente]. Eu estou em todos os jornais como convidada por todos os partidos para ser vice. Porque parece que precisa de uma mulher, o perfil é uma mulher [para o cargo]. [...] Eu acho que a desigualdade deve ser combatida, se isso é ser socialista, então eu sou socialista. Sou empresária e sou a favor da distribuição de renda. Nunca me filiei a nenhum partido. Não recebi nenhum político formalmente", disse.


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente