Participamos do

Moro: "Quando foi quebrada a promessa de combate à corrupção, continuar ministro seria uma farsa"

O ex-ministro da Justiça discursa nesta quarta-feira, 10, durante evento de filiação ao Podemos; ele deverá ser o candidato a presidente pelo partido em 2022
11:21 | Nov. 10, 2021
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Durante evento de filiação ao Podemos nesta quarta-feira, 10, o ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro discursou em um auditório em Brasília. O ex-ministro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que entrou no governo para fazer do combate à corrupção uma política pública e destacou que, em determinado momento, o apoio do governo ao combate à corrupção, independentemente de quem fosse atingido, lhe foi negado.

“Em 2018 (ano eleitoral), eu tinha esperança por dias melhores (...) Era um momento que exigia mudança. Eu como juiz da Lava Jato quis ajudar. Aceitei o convite e ingressei no governo. O meu objetivo era melhorar a vida das pessoas, por meio de um trabalho técnico”, afirmou, citando números do período em que esteve no Ministério da Justiça.

“Quando aceitei o cargo não fiz por poder ou prestígio, acreditava em uma missão: combater a corrupção. Mas precisava do apoio do governo e ele foi negado. Quando foi quebrada a promessa de combate à corrupção, continuar como ministro seria uma farsa”, disse.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Moro também afirmou que se eventualmente não é a “melhor pessoa para discursar”, em referência às críticas que recebe pela forma como fala, assegurou que é alguém em quem as pessoas “podem confiar”. “A vida pública me testou como juiz da Lava Jato e ministro da Justiça, vocês conhecem minha história e sabem que tomei decisões difíceis. Por isso eu peço, hoje, atenção às minhas palavras. O Brasil precisa de líderes que ouçam a voz do povo”.

O evento de filiação de Moro conta com a presença com diversas lideranças do Podemos, como o senador Álvaro Dias e a deputada Renata Abreu; além de outros deputados, prefeitos e membros de outros partidos políticos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags