Participamos do

Governo conta com recuo do PT para aprovar PEC dos Precatórios; Gleisi chama o texto de "escândalo"

De acordo com a presidente do PT, a PEC "não é só para atender o povo, mas para emendas de relator". Governo tenta achar recursos para viabilizar o Auxílio Brasil
11:50 | Nov. 03, 2021
Autor Alice Araújo
Foto do autor
Alice Araújo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo federal está contando com o recuo do Partido dos Trabalhadores (PT) para viabilizar a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios. O texto é uma das estratégias do governo para bancar o pagamento do Auxílio Brasil, mas essa alternativa enfrenta resistência de petistas que se posicionam contra a aprovação da PEC. As informações são da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, reafirmou que o partido é contrário à aprovação da proposta e que não deve mudar de opinião a respeito do assunto, mantendo o voto contra. Hoffmann classificou a PEC como um “escândalo” e afirmou que o texto “não é só para atender o povo, mas para emendas de relator."

Em contrapartida, os integrantes do governo federal defendem que não há mais motivos para o PT ser contra a aprovação da PEC, uma vez que as demandas dos governadores do Nordeste foram atendidas recentemente.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O PT deve se reunir nesta quarta-feira, 3, às 14 horas, para debater a questão. De acordo com a presidente da sigla, o posicionamento deverá ser mantido. "Não acredito que tenha mudança", disse à coluna.

A votação está prevista para acontecer ainda nesta quarta-feira, na Câmara dos Deputados, onde a votação já foi adiada outras vezes no mês passado. Segundo parlamentares, o governo tem ameaçado não transferir emendas impositivas para quem não comparecer à sessão deliberativa.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags