Participamos do

Parlamentares cearenses repudiam veto de Bolsonaro à distribuição gratuita de absorventes

Membros da bancada cearense repudiaram a ação do presidente e defenderem a derrubada do veto
15:47 | Out. 07, 2021
Autor Maria Eduarda Pessoa
Foto do autor
Maria Eduarda Pessoa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Parlamentares cearenses comentaram o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao dispositivo que garantia a distribuição gratuita de absorventes higiênicos e outros cuidados básicos de saúde menstrual nas escolas públicas de ensino médio e de anos finais do ensino fundamental, e para mulheres em situação de vulnerabilidade social extrema.

A previsão, que constava no artigo 1º do projeto de lei 4968/2019, que instituí o Programa de Fornecimento de Absorventes Higiênicos, foi barrada por Bolsonaro em decisão publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 7.

Membros da bancada cearenses repudiaram a ação do presidente e defenderem a derrubada do veto. "Derrubar o veto de Bolsonaro à distribuição de absorventes para mulheres é dever de todos nós que amamos a vida. Só um presidente desumano é capaz de tamanha crueldade", escreveu o deputado federal José Guimarães (PT).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Derrubar o veto de Bolsonaro a distribuição de absorventes para mulheres é dever de todos nós que amamos a vida. Só um presidente desumano é capaz de tamanha crueldade.

— José Guimarães (@guimaraes13PT) October 7, 2021

O deputado André Figueiredo (PDT) também defendeu que o veto seja discutido na Câmara. "Vamos derrubar na Câmara", disse.

O deputado José Airton (PT) foi outro que aproveitou a repercussão para sair em defesa da derrubada. Para ele, "vetar a distribuição de absorventes é mais uma maldade de Bolsonaro". "Menstruação é uma questão de saúde pública", refletiu.

Segundo o deputado Célio Studart (PV), a decisão mostra a "indiferença e desprezo" do governo com a temática da pobreza menstural. 

 "Como pode uma criatura ser tão ruim assim?", indagou o deputado Idilvan Alencar (PDT):

Já a deputada Luizianne Lins (PT) defendeu que se trata de mais um "ataque cruel de Bolsonaro contra as mulheres":

Mais um ataque cruel de Bolsonaro contras as mulheres. Ele vetou PL que aprovamos na Câmara para distribuir absorventes para mulheres e adolescentes de baixa renda. É MUITA MALDADE NUMA PESSOA SÓ! #pobrezamenstrual #SaudeDaMulher #ForaBolsonaroGenocida #LulaPresidente2022

— Luizianne Lins (@LuizianneLinsPT) October 7, 2021

Além do dispositivo que garantia distribuição gratuita de absorventes menstruais, o presidente vetou mais quatro trechos do projeto. Na justificativa, Bolsonaro diz que consultou o Ministério da Economia e da Educação, que recomendaram o veto porque "a proposição legislativa contraria o interesse público, uma vez que não há compatibilidade com a autonomia das redes e estabelecimentos de ensino".

O veto pode ser mantido ou derrubado pelo Congresso Nacional no prazo de 30 dias após a publicação no Diário Oficial.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags