Participamos do

"Dá vergonha ouvir isso", diz Fátima Bernardes sobre fala de Bolsonaro na ONU

Em sua fala, o presidente desinformou sobre a pandemia do coronavírus e voltou a defender um suposto tratamento precoce contra a covid-19
13:36 | Set. 21, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A apresentadora Fátima Bernardes criticou, nesta terça-feira, 21, o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU. Em sua fala, o presidente  desinformou sobre a pandemia do coronavírus e voltou a defender um suposto tratamento precoce contra a covid-19 que não só não têm eficácia contra a doença, como podem ser prejudiciais aos pacientes.

Em resposta à jornalista Michelle Loreto, a apresentadora da Globo disse ao vivo ter sentido vergonha do pronunciamento, inclusive por haver líderes de outros países do mundo na ONU. Ela também reforçou que as vacinas são as medidas eficazes contra a doença, como já foi comprovado pela ciência.

"Vacina e consciência, não negacionismo. Muito difícil ouvir isso, dá vergonha ouvir isso diante de tantos líderes mundiais que estão lutando e, muitas vezes, não Têm acesso à vacina porque são países pobres. Você ouvir de um presidente que é contra uma prefeitura exigir uma comprovação de vacinação para a segurança de todos, não podemos garantir a segurança daquele que não quer se vacinar, a gente tem que garantir a segurança de todos", disse Fátima. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Fátima lembrou das dificuldades que o Brasil ainda enfrenta sobre a vacinação da população. "É muito triste, ainda hoje várias pesquisas que são internacionais mostrarem que não existe tratamento, a denúncia recente do 'Fantástico' de pessoas que morreram com tentativas de tratamento precoce, kit Covid. Fico triste. Lamento muito que temos que falar disso quando deveríamos estar falando que tem lugar que não chegou vacina no Rio, de controlar a vacinação, convocação para segunda dose que não é feita. Muita coisa para fazer e não isso, mas vamos em frente, é o que temos", concluiu. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags