Participamos do

"Bolsonaro é o único a perder se houver tumulto", diz Lira sobre atos do dia 7

Segundo o parlamentar, "o presidente sabe da responsabilidade dele com relação a isso e sabe que é o único a perder se por acaso houver tumulto na manifestação"
17:33 | Set. 03, 2021
Autor Maria Eduarda Pessoa
Foto do autor
Maria Eduarda Pessoa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), confiou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a pacificidade dos protestos do próximo dia 7 setembro convocados por seus apoiadores. Segundo o parlamentar, "o presidente sabe da responsabilidade dele com relação a isso e sabe que é o único a perder se por acaso houver tumulto na manifestação".

“A polêmica está criada e nós só superaremos ela depois do dia 7 de setembro, com muita tranquilidade. Acho que não há motivo, como venho dizendo, para que se cause espanto de agressão às instituições", disse ainda.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nesta sexta-feira, 3, Bolsonaro afirmou que as manifestações  serão um "ultimato" a "duas pessoas" que não respeitam a Constituição. O presidente disse também pode tomar medidas para "fazer valer a vontade do povo" e conter aqueles que jogam fora das "quatro linhas da Constituição". A fala pode ser entendida como uma referência aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes e Roberto Barroso.

Moraes é relator de inquéritos que miram o presidente e aliados, e Barroso, que é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é alvo de Bolsonaro no âmbito das discussões sobre o voto impresso.

Ontem, durante sessão abertura de sessão de julgamento da tese do "marco temporal", o presidente do STF, ministro Luiz Fux, garantiu que não vai tolerar atos contra a democracia

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente