Participamos do

Deputado Otoni de Paula ataca STF após mandado de busca e apreensão: "Ditadura da toga"

O deputado federal é investigado por incitar atos antidemocráticos
09:10 | Ago. 22, 2021
Autor Maria Eduarda Pessoa
Foto do autor
Maria Eduarda Pessoa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), alvo de mandado de busca e apreensão nessa sexta-feira, 20, classificou a atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) contra atos com pautas antidemocráticas como uma “ditadura da toga”.

Nas redes sociais, o parlamentar repudiou a ação e convocou para manifestação no próximo dia 7 de setembro. “A ditadura da toga quer nos intimidar. Não vão conseguir. Somos a maioria”, escreveu na legenda do vídeo que cita o protesto. “Não se deixem ser intimidados pelo o que aconteceu hoje, dia 7 vai ser gigante”, declarou.

O deputado federal, o cantor Sérgio Reis e outros foram alvos de mandados de busca e apreensão autorizados pelo ministro STF Alexandre de Moraes, em ação que investiga incitação a atos violentos e ameaças contra a democracia.

Atendendo a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), foram determinados 13 mandados a 29 endereços. Segundo a Polícia Federal, os mandados estão sendo cumpridos no Distrito Federal (1) e nos estados de Santa Catarina (6), São Paulo (2), Rio de Janeiro (1), Mato Grosso (1), Ceará (1) e Paraná (1).

“O objetivo das medidas é apurar o eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”, declarou a PF, em nota.

Logo após o episódio, Otoni fez um vídeo relatando a operação e chamou o ministro STF de "tirano". “Estou com roupa de dormir e cara amassada, despenteado. Estou assim porque a Polícia Federal acabou de sair da minha casa”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags