PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Esposa de Ronnie Lessa é presa por tráfico internacional de armas

Elaine Lessa foi presa na manhã deste domingo, 18, pela PF. A mulher é esposa do policial reformado Ronnie Lessa, apontado pela Polícia Civil como o homem que executou a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes

13:14 | 18/07/2021
Elaine Lessa, esposa de Ronnie Lessa (Foto: Reprodução/Twitter)
Elaine Lessa, esposa de Ronnie Lessa (Foto: Reprodução/Twitter)

A Polícia Federal prendeu na manhã deste domingo, 18, Elaine Lessa, esposa do policial reformado Ronnie Lessa. O homem é apontado pela Polícia Civil como o autor da execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018.

Elaine e Ronnie tiveram uma nova prisão decretada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro por tráfico internacional de armas. Elaine tinha acabado de deixar a cadeia na última sexta-feira, 16, acusada de destruição de provas, quando tentou se livrar do arsenal que Ronnie tinha em casa.

Ronnie está no Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Ele deve ir a júri popular como o executor da morte da vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

Operação Supernova

Conforme informações divulgadas pelo G1 Rio de Janeiro, as investigações começaram após uma encomenda vinda de Hong Kong ter chamado a atenção da Receita Federal no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, no dia 23 de fevereiro de 2017.

No pacote, a Receita Federal encontrou 16 quebra-chamas para fuzil AR-15. A peça é utilizada para ocultar as chamas decorrentes de disparos de armas de fogo, responsável por não revelar a posição do atirador. 

O destinatário era a Academia Supernova, que funcionava na comunidade de Rio das Pedras, na Zona Oeste da cidade. Ronnie e Elaine eram sócios do estabelecimento.

LEIA MAIS | Justiça condena Ronnie Lessa por destruição de provas do caso Marielle

STJ mantém bloqueio da aposentadoria de Ronnie Lessa, acusado de matar Marielle

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Federal (Gaeco/MPF) e a PF descobriram que Lessa e a mulher estavam por trás da importação das peças.

Lessa e Elaine também viraram réus pelo crime de tráfico internacional de armas de uso restrito. No pedido de prisão feito à Justiça, o MPF destacou que “os quebra-chamas ilegalmente importados pelos denunciados são acessórios tipicamente utilizados em confrontos armados ou emboscadas”.

O pedido de prisão diz ainda que “se pode deduzir que tais acessórios seriam empregados em confrontos armados entre organizações criminosas que assolam o Rio de Janeiro, ou na eliminação sumária e velada de inimigos e desafetos”. A investigação sobre a importação das peças de fuzil foi batizada de Operação Supernova, em referência à academia.

Responder em liberdade

Elaine foi solta pela Justiça do Rio de Janeiro, no último sábado, 17, depois de ter sido condenada por destruição de provas. Conforme o Ministério Público, Elaine Lessa, um cunhado e dois amigos de Ronnie elaboraram e executaram o plano para se livrar do arsenal que Ronnie tinha em casa.

Isso ocorreu quase um ano depois da morte da vereadora. Elaine Lessa, Márcio Montavano, Bruno Figueiredo e Josinaldo Freitas estavam detidos e deixaram a cadeia. Eles devem seguir respondendo pelo processo em liberdade.