PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsa de dinheiro é encontrada durante operação da PF contra delegado bolsonarista

Em endereço ligado a ele, a PF encontrou uma bolsa comnotas de R$ 100 e R$ 50. O delegado Eguchi disputou eleição municipal em 2020 e recebeu o apoio do presidente durante a campanha

07:39 | 15/07/2021
Bolsonaro ao lado do delegado federal Eguchi (Foto: reprodução/youtube)
Bolsonaro ao lado do delegado federal Eguchi (Foto: reprodução/youtube)

Candidato à Prefeitura de Belém (PA) nas eleições de 2020, o delegado Eguchi (Patriota) foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira, 14. A informação é da coluna Painel, da Folha de São Paulo. Em um endereço visitado pelos agentes federais ligado ao delegado foi encontrada uma bolsa com notas de R$ 100 e R$ 50, além de outros valores. O montante ainda não foi divulgado pela PF.


Disputando o segundo turno das eleições municipais de 2020 contra o então candidato e atual prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL), Eguchi recebeu o apoio do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). "Caso fosse eleitor em Belém/PA, certamente votaria", disse Bolsonaro no Facebook em resposta a um eleitor de Eguchi.


Suspeito de vazar informações de uma investigação em 2018, que mirava uma organização criminosa envolvida na exploração ilegal de minério de manganês, o ex-candidato se tornou alvo da PF. De acordo com o órgão, o vazamento trouxe prejuízo para a investigação porque os envolvidos tiveram conhecimento da operação que seria deflagrada e não foram encontrados no dia da ação.


A PF cumpre ainda mandados contra seis empresários ligados à exploração de manganês no sudeste do Pará. Os crimes investigados são os de violação de sigilo funcional, corrupção passiva e ativa e associação criminosa.


Economista e advogado, Everaldo Eguchi é delegado da Polícia Federal desde 2007. Em 2018, ano em que Jair Bolsonaro foi eleito presidente, ele tentou uma vaga de deputado federal pelo PSL, mas também não foi eleito.