PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"Voto impresso é voltar para época dos dinossauros", critica Lula

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente da República, rebateu o argumento do petista nas redes sociais

Filipe Pereira
11:36 | 06/07/2021
Voto impresso é voltar para época dos dinossauros, diz Lula  (Foto: Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (02/09/2016))
Voto impresso é voltar para época dos dinossauros, diz Lula (Foto: Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (02/09/2016))

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou, na manhã desta terça-feira, 6, uma eventual mudança para o modelo de 'voto impresso', sistema defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para as eleições de 2022. Nas redes sociais, o petista disse que adotar o sistema seria "voltar para a época dos dinossauros".

"Voto impresso é voltar para época dos dinossauros. Vamos ser francos: se fosse possível roubar com o voto eletrônico, eu teria sido o presidente da República neste país? Teria ganhado duas eleições, a Dilma [Rousseff] teria ganhado duas eleições? Eu acho que não", disse Lula. 

O petista é o principal adversário de Bolsonaro no próximo ano e aparece na liderança nas últimas pesquisas de intenção de voto.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Nesta segunda-feira, 5, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), voltou a argumentar contra a implementação do voto impresso no País. Barroso apresentou como argumento contra o sistema a logística envolvendo o transporte dos votos "no País do roubo de carga", além da dificuldade de implementação da modalidade.

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente da República, rebateu o argumento de Lula nas redes sociais. "O que há por trás dessa fake news que inventa que voto auditável significa abolir urna eletrônica quando na verdade é apenas um reforço na segurança do voto e mais transparência nas eleições? Por que estão tão desesperados a ponto de mentir descaradamente assim? Qual o medo?", questionou.