PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

CPI da Covid vai pedir condução coercitiva de Carlos Wizard

O empresário bilionário é indicado como um dos responsáveis pelas teses negacionistas que conduziram as ações do governo Bolsonaro na crise

Carlos Holanda
12:46 | 17/06/2021
Bilionário Carlos Wizard defendeu Nise Yamaguchi após depoimento da médica à CPI da Covid (Foto: Reprodução/Facebook)
Bilionário Carlos Wizard defendeu Nise Yamaguchi após depoimento da médica à CPI da Covid (Foto: Reprodução/Facebook)

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), vai solicitar que o empresário Carlos Wizard seja conduzido coercitivamente para depor aos senadores.

A Justiça será oficiada para que a Polícia Federal apreenda o passaporte de Wizard, bolsonarista apontado como um dos entusiastas das teses negacionistas adotadas no decorrer da crise pelo Planalto.

Deporia também Alexandre Marques, auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) autor de estudo de teor falso sobre supernotificação de 50% das mortes por Covid-19 no Brasil.

Ele não falou à CPI porque, no plenário da Casa, congressistas apreciam Medida Provisória que abre margem para a privatização da Eletrobras.

Wizard está nos Estados Unidos e teve habeas corpus concedido por Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que ficasse calado no depoimento.