PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Randolfe Rodrigues diz que responsáveis por falta de oxigênio no Amazonas responderão por mortes

Embora não haja um levantamento de quantas pessoas morreram sem oxigênio no colapso da saúde no Amazonas, é certo que ocorrem óbitos por asfixia e racionamento de oxigênio nos hospitais do estado

19:24 | 15/06/2021
Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da Covid no Senado. (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da Covid no Senado. (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), informou que o relatório final da comissão deverá pedir o indiciamento de responsáveis pela falta de oxigênio hospitalar no estado do Amazonas, em janeiro deste ano. O senador considera que mortes poderiam ter sido evitadas se não houvesse omissão de parte das autoridades.

Perguntado sobre a responsabilidade específica de agentes estaduais e federais, sobre ofertas de aeronaves para transportar oxigênio a Manaus que foram ignoradas durante a crise local, o parlamentar disse: "Prevaricação, homicídio culposo e, a se analisar, homicídio doloso, claramente pela omissão em socorrer, primeiramente, e por não ter os dados claros do que em Manaus ia ocorrer. No mínimo, isso resta caracterizado e deve constar no relatório final da CPI".

Entre 16 e 18 de janeiro, pelo menos três aeronaves foram ofertadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo governo dos Estados Unidos, para acelerar o transporte de oxigênio ao Amazonas. A autorização, que cabia ao governo federal, ficou em análise por mais de uma semana e os aviões nunca chegaram a participar do processo de transporte.

Embora não haja um levantamento de quantas pessoas morreram sem oxigênio no colapso da saúde no Amazonas, é certo que ocorrem óbitos por asfixia e racionamento de oxigênio nos hospitais do estado. Nesta terça-feira, 15, o ex-secretário de Saúde do estado do Amazonas Marcellus Campêlo depõe à CPI da Covid-19 e presta esclarecimentos sobre o tema.