PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

CPI da Covid: defensora da cloroquina, Nise Yamaguchi é ouvida nesta terça-feira; acompanhe ao vivo

CPI investiga a existência de um "gabinete paralelo" de assessoramento ao presidente Bolsonaro na condução da pandemia; Nise é suspeita de participação nesse gabinete

09:38 | 01/06/2021
Nise Yamaguchi (Foto: Agência Senado)
Nise Yamaguchi (Foto: Agência Senado)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid recebe nesta terça-feira, 1º, a médica oncologista e imunologista Nise Yamaguchi, defensora do chamado “tratamento precoce” contra a Covid-19, uma medida com ineficácia cientificamente comprovada.

Em depoimentos anteriores, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, mencionaram reunião no Palácio do Planalto que teve a presença da médica. Segundo Mandetta, havia um papel não timbrado de uma minuta de decreto presidencial com intenção de alterar a bula da cloroquina e incluí-la no uso contra a Covid.

Questionado sobre a autoria da minuta, Barra Torres disse que não sabia quem era o autor, mas relatou que "a doutora, de fato, perguntou dessa possibilidade e pareceu estar, digamos, mobilizada com essa possibilidade".

A CPI investiga a existência de um "gabinete paralelo" de assessoramento ao presidente Bolsonaro na condução da pandemia. Nise é suspeita de participação nesse suposto gabinete juntamente com outros colegas defensores do tratamento precoce.

Convocada a partir de requerimento de senadores governistas, Yamaguchi comparecerá como convidada nesta terça-feira, não como testemunha. Os senadores de oposição terão o desafio de evitar que ela use o tempo de fala como palanque para propagação da cloroquina, enquanto tentam comprovar a existência do gabinete paralelo e quem eram seus integrantes.