PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"Acelera para Cristo": evangélicos organizam nova 'motociata' para Bolsonaro em São Paulo

Se confirmar a presença, esse será o terceiro passeio de moto que o presidente participa neste ano. Bolsonaro esteve em ato com motociclistas em Brasília, no dia 9 de maio, e no Rio de Janeiro, no último dia 23

10:22 | 01/06/2021
 No domingo, 23 de maio, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reuniu apoiadores em motociata, no Rio de Janeiro (Foto: ANDRE BORGES / AFP )
 No domingo, 23 de maio, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reuniu apoiadores em motociata, no Rio de Janeiro (Foto: ANDRE BORGES / AFP )

Um grupo de apoiadores evangélicos organiza uma nova “motociata” que deve contar com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), dessa vez na capital paulista. O grupo convoca para o ato no próximo dia 12 de junho, por meio das redes sociais e de vídeos no Youtube. A mobilização em São Paulo, inclusive, ganhou um nome: “Acelera para Cristo”. Segundo organizadores, o passeio deve ir do Sambódromo à Avenida Paulista.

Se confirmar a presença, esse será o terceiro passeio de moto que o presidente participa em 2021. Bolsonaro esteve em ato com motociclistas em Brasília, no dia 9 de maio, e no Rio de Janeiro, no último dia 23. Questionado por um apoiador nesta segunda-feira, 31, se iria ao evento, Bolsonaro disse que ficou “sabendo pela internet”.

“Têm vários grupos organizando, estou sendo convidado por vários grupos. Vamos esperar, ver de quem é a organização, para decidir”, declarou, sugerindo que outras mobilizações também estão sendo articuladas.

No Rio de Janeiro e em Brasília, a passagem de Bolsonaro foi marcada por aglomerações e pessoas sem máscara de proteção contra a Covid, o que deve se repetir em nova manifestação. A novidade do ato em São Paulo, no entanto, é que ele será no estado do governador João Dória (PSDB), rival do militar.

O presidente já havia demonstrado interesse em passar pela capital, assim como por Belo Horizonte (MG), onde situa suas críticas ao prefeito Alexandre Kalil (PSD), que adotou medidas mais restritivas de combate à pandemia.

"Vi um vídeo do Kalil, ele falou que não tem problema andar de moto, de cavalo. Eu vi um vídeo dele, fechou demais, né? A destruição de empregos foi enorme, patrocinada por alguns prefeitos e governadores", declarou.

O prefeito, porém, respondeu positivamente à sinalização do presidente de que passará pela cidade."Pode andar a pé, de velocípede, a cavalo, do jeito que quiser", disse em entrevista à TV Bandeirantes