Participamos do

Luizianne apresenta denúncia ao MPF contra Bolsonaro por participação em motociata

A deputada petista pede que a ação seja apurada e que o presidente seja condenado, dentre outras coisas, ao ressarcimento dos valores gastos no evento
16:46 | Mai. 28, 2021
Autor Maria Eduarda Pessoa
Foto do autor
Maria Eduarda Pessoa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia


A deputada federal Luizianne Lins (PT) apresentou uma denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela sua participação na motociata do último domingo, 23, no Rio de Janeiro. No documento, a petista pede ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que sejam tomadas providências.

Luizianne aponta indícios de improbidade administrativa e malversação do dinheiro público. Na oportunidade, ela sugeriu que a ação seja apurada, e que o presidente seja condenado, dentre outras coisas, ao ressarcimento dos valores gastos.

A deputada lembra que, para a realização do evento, o presidente mobilizou cerca de 1 mil policiais militares, que trabalharam por cerca de seis horas no esquema de patrulhamento da manifestação. Conforme divulgado pelo canal de notícias CNN Brasil, somente com segurança o evento teria custado cerca de R$ 485 mil aos cofres públicos. “Esse efetivo é o equivalente ao de um batalhão de PM de grande porte no Estado”, apontou a emissora.

Já o portal de notícias UOL chegou ao montante de R$ 545 mil gastos, considerando as horas trabalhadas. O valor foi calculado pelo economista Daniel Cerqueira, conselheiro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Vale destacar, porém, que em ambos os resultados são considerados apenas os custos com recursos humanos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A deputada destaca ainda o descumprimento das medidas sanitárias de combate à Covid-19. “Ficou claro o abuso e o mau uso de serviços e servidores públicos no ato que se caracterizou como campanha eleitoral antecipada em prol de Jair Bolsonaro. Além de desobedecer as regras sanitárias de distanciamento social no combate ao Covid-19, a manifestação também contou com pedidos antidemocráticos e inconstitucionais de intervenção militar, com fechamento do Congresso Nacional e do STF”, afirma o documento apresentado ao MPF.

O Partido dos Trabalhadores, legenda de Luizianne, também apresentou, recentemente, notícia-crime contra o presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela realização do evento no Rio de Janeiro.

"A lógica parece ser simples: o presidente Jair Bolsonaro estimula seus apoiadores a saírem às ruas em atos de manifestação em seu favor e retira dos cofres públicos a verba necessária para o remanejamento de policiais militares para fins de segurança, além de todo o aparato estatal envolvido na proteção da autoridade máxima da República", diz um trecho da petição.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags