PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Deputado bolsonarista propõe extinção de universidade pública no Rio de Janeiro

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro reagiu: "Enquanto eu for presidente, não vota. É inconstitucional", pontuou.

15:16 | 26/05/2021
Estudantes chegam para o segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro(UERJ). (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Estudantes chegam para o segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro(UERJ). (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O deputado estadual bolsonarista Anderson Moraes (PSL-RJ) protocolou um projeto de lei que visa extinguir a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). A proposta foi protocolada na última terça-feira, 25, e gerou reações na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Ligado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Moraes disse que a UERJ tem um “nítido aparelhamento ideológico com viés socialista” e que “a UERJ é um dos órgãos estaduais que causa maior impacto no orçamento estadual, concentrando milhões de reais do pagador de impostos numa estrutura pesadas e com resultados contestáveis".


O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT-RJ), respondeu, nesta quarta-feira, 26, que o projeto não será votado. "Enquanto eu for presidente, não vota. É inconstitucional e isso seria atribuição do Poder Executivo", disse, que exaltou a Uerj.

Já o deputado estadual Flávio Serafini (Psol-RJ), presidente da Comissão de Educação da Alerj, criticou o projeto do bolsonarista, celebrou a fala do presidente da Casa e chamou a atitude do parlamentar do PSL de “surto autoritário”. “Não tem outro nome para essa proposta do deputado bolsonarista. Eles querem acabar com a UERJ, a primeira universidade do país a adotar o sistema de cotas, pq têm medo do povo!” escreveu.