Participamos do

"Já tem chapa com ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice", diz Bolsonaro após reunião entre Lula e FHC

Na fala, o presidente não identificou os membros da chapa que acusou ser formada por um "ladrão" e um "vagabundo". A declaração, no entanto, acontece um dia após o encontro de Lula e FHC
16:22 | Mai. 21, 2021
Autor Maria Eduarda Pessoa
Foto do autor
Maria Eduarda Pessoa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Durante uma cerimônia de entrega de títulos de propriedade em Açailândia (MA), nesta sexta-feira, 21, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que uma coalizão formada por "um ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice" já está confirmada para as eleições de 2022.

"Falando em política, para ano que vem já tem uma chapa formada: um ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice", declarou. Veja vídeo: 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A referência do presidente não ficou clara, mas a declaração, que pode soar ambígua, ocorre um dia após o ex-presidente Lula (PT) tornar público o seu desejo de disputar as eleições de 2022. Em entrevista à revista francesa Paris Match, publicada ontem, o petista se colocou pela primeira vez como pré-candidato à presidência desde que recuperou seus direitos políticos.

A fala de Bolsonaro aconteceu também poucas horas depois de Lula publicar uma foto com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em seu perfil nas redes sociais. O registro foi feito em uma reunião ocorrida nesta quinta-feira, 20, na casa do ex-ministro do STF Nelson Jobim.

"A convite do ex-ministro Nelson Jobim, o ex-presidente Lula e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se reuniram para um almoço com muita democracia no cardápio", escreveu o petista.

Você aprova o encontro entre os ex-presidentes Lula e FHC?
Sim
Não
 
Created with Quiz Maker

O tucano tem demonstrado apoio à candidatura de Lula em um eventual segundo turno contra Bolsonaro. Sem esconder seu desejo por um nome de terceira via, ele lamenta, porém, não poder "votar com tranquilidade" contra a reeleição do atual presidente. Em relação à sua preferência pelo petista sobre o militar da reserva, ele afirma que Lula "faz uma ponte. E, em certas circunstâncias, é melhor ter a ponte do que alguém que derrube pontes". 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags