Participamos do

Em CPI, Wajngarten contradiz própria fala sobre Pazuello em entrevista à Veja e irrita senadores

A contradição e a tentativa de blindar o presidente Jair Bolsonaro geraram desconforto entre os integrantes da CPI, como o relator Renan Calheiros e o presidente Omar Aziz
13:10 | Mai. 12, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em depoimento à CPI da Covid no Senado nesta quarta-feira, 12, Fábio Wajngarten, ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), contradisse sua própria entrevista à revista Veja na qual avaliou que houve incompetência no Ministério da Saúde sob a gestão de Eduardo Pazuello. Em abril, Wajngarten culpou Pazuello por não ter fechado um acordo para a compra de vacinas da Pfizer no meio do ano passado.

Indagado pela revista sobre o que explicava o acordo não ter ocorrido no segundo semestre de 2020, o publicitário respondeu: "Incompetência e ineficiência." Perguntado se fala referia-se a Pazuello, o ex-secretário disse: "Estou me referindo à equipe que gerenciava o Ministério da Saúde nesse período". Pazuello foi ministro da Saúde interino entre maio e setembro de 2020, quando foi efetivado no cargo. Ele deixou o cargo em março de 2021. 

Questionado na CPI sobre ter atribuído esses problemas à pasta comandada pelo ex-ministro Eduardo Pazuello, o ex-secretário disse que não chamou o general de incompetente. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A contradição e a tentativa de blindar o presidente Jair Bolsonaro geraram desconforto entre os integrantes da CPI, como o relator Renan Calheiros (MDB-AL),  e o presidente Omar Aziz (PSD-AM). O embate começou quando Renan perguntou ao depoente qual o impacto na comunicação do governo das declarações “estapafúrdias” de Bolsonaro sobre as vacinas contra a Covid-19. Ele também cobrou respostas mais objetivas.

Em resposta, Wajngarten chegou a indagar quais seriam as motivações do presidente. O relator insistiu no questionamento durante alguns minutos, até que o presidente da CPI interveio tentando obter uma resposta objetiva — o que não ocorreu. O auge do conflito aconteceu Renan perguntou quem orientava Bolsonaro a fazer esse tipo de raciocínio para a população e Wajngarten rebateu: “Eu acho que o senhor tem que perguntar pra ele, senador… eu não conversava”.

Acompanhe a sessão ao vivo: 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags