PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Após tratar linfoma, Sargento Reginauro retoma atividades na Câmara Municipal em maio

O parlamentar esteve afastando em razão de um linfoma não-Hodgkin (LNH), descoberto em agosto de 2020

Filipe Pereira
12:45 | 30/04/2021
Sargento Reginauro (Foto: Alex Gomes/O Povo) (Foto: ALEX GOMES)
Sargento Reginauro (Foto: Alex Gomes/O Povo) (Foto: ALEX GOMES)

O vereador Sargento Reginauro (Pros) deve retornar às atividades da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) no próximo dia 6 de maio. O parlamentar foi submetido a um transplante de medula óssea, com a utilização de suas próprias células tronco, para tratar um linfoma não-Hodgkin (LNH), que ataca as células do manto, sendo o quadro mais agressivo. 

O retorno oficial foi anunciado nesta sexta-feira, 30, pelo deputado Capitão Wagner (Pros) nas redes sociais. "Nosso irmão Sargento Reginauro já se reestabelecendo. Nos próximos dias volta à Câmara Municipal para voltar ao trabalho da vereança e conta com nosso total apoio", disse Wagner, acompanhado do vereador em seu gabinete.

"O tratamento está concluído. Estou com muitas expectativas para entrar nas discussões e ajudar no processo de fiscalização de todos os recursos e inciativas que precisam ser adotadas para o controle da pandemia", afirma o vereador, que integra o bloco de oposição ao prefeito José Sarto (PDT) na CMFor.

Reginauro não participou da campanha eleitoral, sendo reeleito sem as atividades de rua. No dia 1º de janeiro foi empossado, mas teve que se ausentar para conclusão do tratamento, iniciado com quimioterapia. Na Câmara de Vereadores, quem ainda está como suplente é Pedro Matos (Pros). 

O vereador foi afastado após ter descoberto o linfoma em agosto e, pela gravidade do caso, houve a recomendação médica para passar pelo tratamento internado, evitando complicações decorrentes de infecções.

O linfoma não-Hodgkin é um grupo de doenças que inclui qualquer linfoma. O tumor se origina nos linfócitos, um tipo de célula branca do organismo, e se espalha para todo o corpo. Ele se desenvolve a partir de linfócitos B em 85% dos casos e de linfócitos T nos 15% dos casos restantes. Há mais de cinquenta tipos de LNH. Em Reginauro, a doeça se manifestou de forma agressiva.