PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro é condenado a indenizar repórter da Folha por danos morais

A repórter Patrícia Campos Mello acionou a Justiça após sofrer um ataque, de cunho sexual e machista, em fevereiro de 2020

Carlos Mazza
18:14 | 27/03/2021
Bolsonaro tenta garantir 1ª vacina brasileira contra Covid (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Bolsonaro tenta garantir 1ª vacina brasileira contra Covid (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A Justiça de São Paulo condenou o presidente Jair Bolsonaro a indenizar a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo, em R$ 20 mil por danos morais. A repórter acionou a Justiça após sofrer um ataque, de cunho sexual e machista, em fevereiro de 2020.

"Ela queria, ela queria um furo. Ela queria dar o furo [risos] a qualquer preço contra mim", disse o presidente, em conversa com simpatizantes em frente ao Palácio da Alvorada. No meio jornalístico, a palavra “furo” é usada para identificar uma informação exclusiva.

Na decisão, a juíza Inah de Lemos e Silva Machado, da 19ª Vara Cível de São Paulo, diz que Bolsonaro violou "a honra da autora, causando-lhe dano moral". Além dos R$ 20 mil, Bolsonaro também foi condenado a pagar custas processuais e honorários advocatícios no valor de 10% da condenação. O presidente ainda pode recorrer no caso.

Patrícia Campos Mello foi autora de uma série de reportagens que revelaram um suposto esquema irregular, financiado por empresários simpáticos a Bolsonaro, de disparo em massa de mensagens nas eleições de 2018.

Desde a revelação do esquema, a jornalista passou a ser alvo de apoiadores do presidente nas redes sociais. "A utilização no sentido dúbio da palavra 'furo' em relação à autora repercutiu tanto na mídia como também nas redes sociais, expondo a autora", diz a juíza na condenação contra Bolsonaro.