PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Capitão Wagner denuncia "leitos fantasmas" em Sobral; prefeito Ivo Gomes reage chamando deputado de "marginal"

Prefeito de Sobral trocou acusações com parlamentar após gestão ser acusada de não destinar montante enviado pelo Ministério da Saúde para criação de novos leitos. Chegou a envolver um bispo da cidade na polêmica. MPF nega que já haja investigação

Filipe Pereira
14:41 | 11/03/2021
Prefeito de Sobral, Ivo Gomes, e deputado federal Capitão Wagner (Foto: Foto: Júlio Caesar e Aurélio Alves)
Prefeito de Sobral, Ivo Gomes, e deputado federal Capitão Wagner (Foto: Foto: Júlio Caesar e Aurélio Alves)

O deputado federal Capitão Wagner (Pros) usou as redes sociais nesta terça-feira, 9, para denunciar supostas irregularidades no município de Sobral. O parlamentar acusa a prefeitura da cidade de não destinar o montante de R$ 4,3 milhões enviadas pelo Ministério da Saúde para a abertura de novos leitos, tendo a gestão que devolver a quantia ao Governo Federal.

Na publicação, o deputado afirma que visitou a pasta e comemora a denúncia, afirmando que "segue atento e fiscalizando o Estado e municípios". No Twitter, o parlamentar denuncia a criação de leitos fantasmas em Sobral. Ele afirma que a secretária municipal de Saúde, Regina Carvalho, se comprometeu a prestar esclarecimentos pessoalmente ao Ministério da Saúde, "Confessa o crime e o SUS vai ser ressarcido em quase R$ 4 milhões e meio", diz.

Confira: 

Em resposta ao deputado, o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, também usou as redes sociais para se manifestar. Disse que se trata de um vídeo feito por um "marginal", se referindo a Capitão Wagner, e procurou explicar a situação. "Quem está atrás disso está prestando um grande desserviço à população de Sobral. Toda essa celeuma tem uma origem: o controle rigoroso que a prefeitura de Sobral tem feito nas falcatruas cometidas dentro da Santa Casa de Sobral", acusa. 

Em resposta a Wagner, o prefeito afirmou que a população da cidade será a maior prejudicada caso os recursos sejam devolvidos. Ele reforçou que só deve encaminhar o montante ao Governo Federal mediante ordem da Justiça.

O gestor acusa até o bispo José Vasconcelos, da Igreja Católica de Sobral, de envolvimento no caso. Segundo Ivo, as acusações fazem parte de um "conluio com o que há de pior na política cearense". Confira: 

Ao povo de Sobral Circula em redes sociais um vídeo do marginal, organizador de motins, capitão Wagner, especulando...

Publicado por Ivo Gomes em Quarta-feira, 10 de março de 2021

A reportagem tentou contato com a Secretaria da Saúde de Sobral porém não obteve respostas. O Ministério da Saúde também não deu esclarecimentos. 

Em nota, o Ministério Público Federal nega que, até o momento, tenha feito qualquer denúncia contra a Prefeitura de Sobral (CE) por suposta irregularidade no uso de verba. O órgão explica que, diferente do que foi informado pelas redes sociais, ainda há apenas uma fase inicial de investigações sobre informações que chegaram ao órgão, por meio da Santa Casa, sobre supostas irregularidades envolvendo recurso federal destinado à unidade de Saúde. 

Confira nota na íntegra:

Ministério Público Federal (MPF) esclarece que, diferente do que foi divulgado em mídias sociais, não apresentou, até o momento, qualquer denúncia contra a Prefeitura de Sobral (CE) por suposta irregularidade no uso de verba que teria sido transferida à administração municipal pelo Ministério da Saúde para ser posteriormente repassada à Santa Casa de Misericórdia daquela cidade.

Há no MPF uma notícia de fato para apurar informações que chegaram ao órgão, através da Santa Casa, sobre supostas irregularidades envolvendo recurso federal destinado à unidade de Saúde. Notícia de fato é qualquer demanda dirigida ao Ministério Público, submetida à apreciação de seus membros, e que pode ou não ser convertida em inquérito.

A instauração de procedimentos investigatórios não implica em julgamento de valor sobre a demanda recebida. Caso sejam constatadas irregularidades durante as investigações, o MPF adotará as medidas cabíveis no caso.