PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Gilmar Mendes pauta suspeição de Moro para esta terça-feira

Um desfecho negativo para Moro significará a anulação de depoimentos e provas produzidas ao longo dos processos, que voltam à estaca zero

Carlos Holanda
11:36 | 09/03/2021
Sérgio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro, deixou a pasta em abril de 2020 (Foto: Carl DE SOUZA / AFP)
Sérgio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro, deixou a pasta em abril de 2020 (Foto: Carl DE SOUZA / AFP)

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, pautou o julgamento relativo à suspeição do ex-juiz Sergio Moro. Ele será julgado nesta terça-feira, 9, pela segunda turma do STF. Tudo corre para que Moro seja condenado. A informação é da jornalista Mônica Bergamo, colunista da Folha de S. Paulo.

Se o desfecho for negativo para o ex-magistrado, os processos envolvendo o ex-presidente Lula (PT), que já vão para a Justiça Federal de Brasília, não poderão ter depoimentos e provas aproveitadas. Ou seja, as investigações sairiam da estaca zero.

Lula havia sido condenado em duas ações penais por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A primeira envolvia o tripléx no Guarujá, litoral de São Paulo. A segunda se refere a um sítio em Atibaia (SP). Os reveses jurídicos o deixavam inelegível em razão da Lei da Ficha Limpa, sancionada no governo dele.

Advogados de Lula, Cristiano Zanin e Valeska Martins indicam sete fatores que levariam os ministros a decidir pela suspeição de Moro. Um deles é o da condução coercitiva para depor, ainda em 2016.

A divulgação de áudios interceptados ilegalmente é outro ponto de argumentação: Dilma Rousseff, ocupando a Presidência da República, e os advogados sofreram interceptações.