PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Capitão Wagner condena decisão de Fachin: "desacredita a justiça brasileira e abre precedência perigosa"

Apesar de repudiar a ação em favor de um discurso anticorrupção, o deputado não se estendeu sobre a elegibilidade de Lula, que recuperou seus direitos políticos após a decisão

21:04 | 08/03/2021
FORTALEZA, CE, BRASIL, 29-11-2020: O candidato Capitao Wagner (PROS), votou na manha de hoje no Colegio Maximus, acompanhado da sua mulher Daiane Sousa, da vice Kamila Cardoso e do Senador Eduardo Girao. Falou com apoiadores e cedeu entrevista pos-voto. Fortaleza. (Foto: Barbara Moira/ O POVO) (Foto: BARBARA MOIRA)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 29-11-2020: O candidato Capitao Wagner (PROS), votou na manha de hoje no Colegio Maximus, acompanhado da sua mulher Daiane Sousa, da vice Kamila Cardoso e do Senador Eduardo Girao. Falou com apoiadores e cedeu entrevista pos-voto. Fortaleza. (Foto: Barbara Moira/ O POVO) (Foto: BARBARA MOIRA)

O deputado federal Capitão Wagner (PROS) comentou nesta segunda-feira, 8, a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, que anulou as condenações do ex-presidente Lula no âmbito da operação Lava Jato. Segundo o parlamentar, a medida "desacredita a justiça brasileira e abre precedência perigosa para a impunidade de políticos corruptos do Brasil".

E anular todas as condenações de Lula relacionadas à Lava Jato é uma desmoralização para um país que teve bilhões saqueados dos cofres públicos”, escreveu em seu perfil no Twitter. Apesar de repudiar a ação, o deputado e apoiador de Bolsonaro, em contramão aos colegas parlamentares da base governista, não se estendeu sobre a elegibilidade de Lula, que recuperou seus direitos políticos após a decisão.

A partir de agora, podendo ser candidato nas eleições presidenciais de 2022, caso manifeste vontade, o petista é o principal potencial adversário de Bolsonaro no próximo pleito. Ainda nesta segunda, o governador Camilo Santana (PT) e outros parlamentares cearenses também comentaram a decisão do ministro do STF.