PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Após ser chamada de "aborto", Dilma diz que Ciro quer ser "variante de Bolsonaro"

Fala do pedetista foi criticada nas redes sociais, também, por ser dita nesta segunda-feira, 8 março, Dia Internacional da Mulher.

Filipe Pereira
19:00 | 08/03/2021
Dilma Rousseff, ex-presidente da República (Foto: Yuri Cortez / AFP)
Dilma Rousseff, ex-presidente da República (Foto: Yuri Cortez / AFP)

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) classificou nesta segunda-feira, 8, Dia internacional da Mulher, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) como "outro aborto que aconteceu na história brasileira". A fala do possível candidato à sucesso presidencial de 2022 foi dada em entrevista ao portal UOL, quando o jornalista perguntou a opinião sobre ex-presidentes. Dilma reagiu, afirmando que Ciro quer ser uma "variante de Bolsonaro".

Ciro fez esse ataque à Dilma no momento em que criticava postura do PT de insistir no nome dele para 2022 ou em outro bastante ligado  a ele. "Nós vamos ficar discutindo: o Lula é elegível? O Lula é inelegível? Olha, esse filme eu já vi. Não contem comigo. Não contem comigo para esse circo mambembe porque a tragédia brasileira não permite mais contemporização", reforçou Ciro.

A entrevista foi concedida momentos antes do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular os processos contra Lula na Lava Jato do Paraná e permitir a candidatura do petista no ano que vem, algo que antes estava vedado pela Lei da Ficha Limpa.

Em resposta às declarações, Dilma respondeu que o pedetista quer parecer ser "uma variante de Bolsonaro", classificando o pronunciamento do ex-governador cearense como parte de discurso de ódio. "Mais uma vez Ciro se dedica a um ataque contra mulheres, de caráter misógino, reforçando a retórica machista e retrógrada tão em voga nos tempos atuais. Esse discurso preconceituoso fica bem aos reacionários, não a quem almeja conduzir os destinos da Nação no século 21", disse a petista.