PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Presidente do PDT pede interdição de Bolsonaro: ‘Acho que ele é louco’

Segundo Carlos Lupi, a ação judicial "mostra a incapacidade de Bolsonaro para seguir como presidente. O objetivo é o de impedir as ações negacionistas, que multiplicam as mortes por Covid-19"

22:56 | 05/03/2021
Carlos Lupi, presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT) (Foto: Reprodução/Facebook)
Carlos Lupi, presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT) (Foto: Reprodução/Facebook)

O presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Carlos Lupi, anunciou nesta sexta-feira, 5, que reivindicará ao Supremo Tribunal Federal (STF) a interdição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em vídeo publicado no Twitter, o professor afirmou que Bolsonaro tem “corresponsabilidade” pelas mais de 250 mil mortes por Covid-19 e, como mandatário, “desconheceu a medicina, desrespeitou as recomendações médicas, incentivou aglomerações” e ignorou o uso de máscara.

Segundo o pedetista, a ação judicial mostra a "incapacidade" de Bolsonaro para seguir como presidente. "O objetivo é o de impedir as ações negacionistas, que multiplicam as mortes por Covid-19. Temos inúmeras provas (entre elas, as declarações ‘chega de frescura, de mimimi, vão ficar chorando até quando?’ e ‘vai procurar vacina na casa da sua mãe’). Eu acho que ele é louco e precisa ser interditado antes que mais brasileiros morram por sua loucura”.

De acordo com o site do Conselho Nacional de Justiça, a interdição ocorre quando um indivíduo “se mostra incapaz de medir as consequências de suas ações (...) seja por doença ou vício. A medida delega a outra pessoa o poder de representação em todas as decisões legais”.

“Nós já fizemos de tudo. Estamos na Corte de Haia contra ele, por esse crime contra a humanidade. Nós estamos no Supremo Tribunal Federal, e agora vou pedir ao nosso jurídico para fazer a interdição”, concluiu Lupi.