PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Reunidos na Praia de Iracema, manifestantes protestam contra Bolsonaro em Fortaleza

A concentração começou na Praça do Dragão do Mar, às 15 horas. Em meio a bandeiras de partidos e entidades sindicais, cartazes estampam "Fora, Bolsonaro" e palavras como "democracia"

Samuel Pimentel
16:17 | 23/01/2021
Manifestantes pedem o impeachment de Bolsonaro na Praia de Iracema, em Fortaleza. (Foto: Carlos Holanda / O POVO)
Manifestantes pedem o impeachment de Bolsonaro na Praia de Iracema, em Fortaleza. (Foto: Carlos Holanda / O POVO)

Grupo de manifestantes se reúne na Praia de Iracema, para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A manifestação foi convocada nos últimos dias pelas redes sociais num movimento pró-impeachment do chefe do Executivo. A concentração começou na Praça do Dragão do Mar, às 15 horas. Em meio a bandeiras de partidos e entidades sindicais, cartazes estampam "Fora, Bolsonaro" e palavras como "democracia".

Na Rua Almirante Jaceguai, em frente ao antigo Bar Órbita, alguns motoristas que passam no local e simpatizam com a tese do impeachment do presidente pedem adesivos. Conforme O POVO apurou, aos apoiadores de Bolsonaro que passaram aceleradamente, os manifestantes reforçaram o coro pela deposição do militar.

O deputado federal José Guimarães (PT) está presente na manifestação. Ele eleva o coro pró-impeachment de Bolsonaro e cobra ação dos deputados no Congresso. "Os deputados e deputadas precisam ter coragem para dar um grito de independência porque é uma exigência nacional. O Brasil não pode suportar mais um ano de governo Bolsonaro, (porque) ele passou de todos os limites na questão da Covid, crise econômica, auxílio emergencial", afirma.

"Esse tipo de mobilização, como a que está ocorrendo em Fortaleza, ajuda muito. Isso chega em Brasília", diz o deputado, enfatizando que "não existe outro caminho" para recuperação do País que não seja o processo de deposição do presidente. Outros políticos também participam da manifestação. O deputado estadual, Renato Roseno (Psol) e o petista Vladyson Viana, que foi candidato à vice-prefeito na chapa com Luizianne Lins nas eleições de 2020.

Os cidadãos

Verônica Matos, assistente social, espera que as movimentações contra Bolsonaro em todo País devem culminar na sua deposição. "O poder emana do povo. O que precisa acontecer é a união de classes, as pessoas precisam entender que estamos do mesmo lado. (A situação é) Ou viver ou ficar do lado da morte!", exclama.

Ela reclama da "falta de conhecimento" e do "deboche" do presidente em meio à pandemia, enquanto milhares de brasileiros perderam suas vidas.

Arthur de Souza Maia, 15, é estudante e acredita que o País só terá condições de combater a pandemia sem a presença do atual presidente no comando do País. Ele cobra o início do processo de deposição por algum dos processos que já chegaram ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (Dem).

"Eu, na posição de jovem e de classe média, observo amigos que guinaram para movimentos de direita que elegeram Bolsonaro. Agora sinto uma mudança, meus amigos se decepcionaram, já mudaram de ideia ou tem vergonha de admitir", afirma.

Com informações do repórter Carlos Holanda