PUBLICIDADE
Política
Noticia

Ciro admite surpresa e atribui vitória apertada a "ação pesada" de amotinados

"Muitos depoimentos estão chegando de policiais constrangendo", disse o ex-ministro em entrevista ao UOL

Carlos Mazza
14:22 | 01/12/2020
Ciro Gomes concedeu entrevista ao UOL nesta terça-feira (Foto: Reprodução/UOL)
Ciro Gomes concedeu entrevista ao UOL nesta terça-feira (Foto: Reprodução/UOL)

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) admitiu surpresa com vitória apertada de José Sarto (PDT) sobre Capitão Wagner (Pros) no segundo turno em Fortaleza. Afirmando que pesquisas internas do partido apontavam vantagem de até vinte pontos para o pedetista, Ciro atribuiu parte do resultado a “ação pesada” de amotinados da Polícia Militar no dia da eleição.

“Aqui fomos todos surpreendidos. O Datafolha, por exemplo, anunciava 14 pontos de vantagem, o Ibope 20 pontos, nossas pesquisas 20% de margem, e aconteceu esse resultado inesperado, para nós e para a oposição mesmo. É preciso ter humildade para avaliar o que aconteceu na reta final, mas nós temos algumas pistas”, disse, em entrevista ao UOL.

“Uma denúncia que nos chega, e isso tem que apurar, é que aquele dispositivo amotinado da Polícia Militar do Ceará entrou muito pesadamente na área das urnas. Muitos depoimentos estão chegando de policiais constrangendo e, você sabe, esse Capitão é o cara que liderou o motim que matou mais de 300 pessoas”, disse o ex-ministro.

Além da suposta ação de PMs que teriam participado do motim do início do ano, Ciro também atribui a vitória apertada à própria estratégia da campanha de Sarto na reta final da campanha. “No debate da Globo, a estratégia dele, correta, foi moderada e equilibrada, porque ele sabe o tamanho do abacaxi que terá para governar, resistindo às mais despudoradas provocações”.

“O outro candidato (Wagner) foi muito mentiroso, agressivo, prometendo socorro de R$ 300 para todo mundo por mês, o que simplesmente levaria todas as finanças da Prefeitura, e o Sarto nem desmentia isso, porque a estratégia que ele adotou, e que não é a minha, foi de aceitar provocações e não reagir a elas, em respeito ao momento que estamos vivendo”, diz.

Apesar dessas questões, Ciro diz que o PDT cearense deve “avaliar com humildade” o resultado das urnas. “Vamos avaliar e não vamos desmerecer em nada esse número, porque é o nosso povo. Temos o mesmo amor por ele que temos pelos que votaram conosco, embora a gente ache que isso é um grosseiro equívoco”, afirma.

Apesar das pesquisas apontarem margens entre 14 a 20 pontos de vantagem para Sarto, resultado das urnas acabou com diferença muito menor, com 51,6% para o pedetista contra 48,4% do candidato do Pros. Foi o 2º turno mais acirrado da história de Fortaleza. Vitorioso, Sarto já reconheceu o resultado prometendo “pacificar” a cidade e ouvir base e oposição.

Análise dos resultados em Fortaleza e Caucaia e balanço pelo Ceará e pelo Brasil: