PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Eleições 2020: entenda o que são margem de erro e intervalo de confiança nas pesquisas

Indicadores associados a consultas de intenção de voto mostram o quanto os resultados representam a realidade; entenda o que significa cada termo

Bemfica de Oliva
21:33 | 27/10/2020
Termos se tornam comuns na divulgação de pesquisas eleitorais, e são calculados com base em fórmulas matemáticas (Foto: Divulgação/TSE)
Termos se tornam comuns na divulgação de pesquisas eleitorais, e são calculados com base em fórmulas matemáticas (Foto: Divulgação/TSE)

Com as eleições se aproximando, as pesquisas de intenção de voto vão se tornando cada dia mais comuns. Com elas, dois termos sempre aparecem: "margem de erro" e "índice de confiança ou confiabilidade".

Ambos os termos representam números que são definidos por fórmulas matemáticas, permitindo uma análise precisa da opinião do eleitorado sem ser necessário consultar toda a população da cidade. Mas o que significam exatamente essas expressões? O POVO explica abaixo, entenda:

Margem de erro e "margem de erro máxima"

A margem de erro é um indicador que lembra que as pesquisas não têm como ser totalmente precisas. Isso significa que ao indicar, por exemplo, que uma candidatura tem 25% das intenções de voto com margem de erro de 3%, o número real pode ser qualquer valor entre 22% (três pontos para menos) ou 28% (três pontos para mais).

Ela existe porque, em termos estatísticos, não há como obter o resultado exato em uma pesquisa, a não ser que se consultem absolutamente todas as pessoas do chamado "universo", que é o total que a amostra busca representar. No caso de consultas eleitorais, como as intenções de voto mudam durante a campanha, há o adicional de impossibilidade em determinar com exatidão estas alterações.

É preciso pontuar, no entanto, que a certeza da margem de erro é variável, por isso se usa o termo "margem de erro máxima". Uma candidatura que apresente 1% nas pesquisas com 3% de margem de erro, por exemplo, dificilmente atingirá 4% dos votos, porque a própria margem é muito acima das intenções de voto verificadas. Candidaturas que tenham 20% ou 30%, no mesmo caso, seriam muito mais inclinadas a estar dentro da margem apresentada.

Intervalo de confiança: indicando que a pesquisa representa a realidade

O intervalo de confiança, por sua vez, mostra o quão próxima a pesquisa está de representar o cenário real. Este índice é necessário para garantir que, mesmo com a margem de erro, a consulta não acabe tendo uma amostragem muito grande, que seria muito caro e demorado para os institutos de pesquisa captarem os resultados.

Via de regra, são usados intervalos de confiança - ou índices de confiabilidade - na faixa de 95% para pesquisas eleitorais. Isto significa que, em cerca de 95% dos casos (ou 19 em cada 20), o resultado (considerando a margem de erro) representará a realidade.

É importante ressaltar que estudos em diferentes áreas demandam diferentes índices de confiabilidade. Para pesquisas médicas, por exemplo, intervalos de confiança de 99% podem ser considerados baixos, pois a precisão exigida nestes casos é muito superior.