PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Pré-candidato a prefeito, Heitor Férrer afirma que obras de RC são "cosméticas" e que dinheiro poderia ter ido para habitação

O deputado disse que com os mesmos valores em mãos teria feito uma revolução na Capital

Carlos Holanda
15:47 | 07/08/2020
Deputado Heitor Férrer foi entrevistado no programa da rádio O POVO CBN  (Foto: Thais Mesquita)
Deputado Heitor Férrer foi entrevistado no programa da rádio O POVO CBN (Foto: Thais Mesquita)

 

O pré-candidato a prefeito de Fortaleza, Heitor Férrer (SD), foi mais um postulante a apontar desatenção da gestão Roberto Cláudio (PDT) com os segmentos mais pobres da Capital. Quinto entrevistado da série da Rádio O POVO/CBN com prefeituráveis, nesta sexta-feira, o deputado estadual disse que o Município aplicou valores que considera desproporcionais em Urbanismo em detrimento de áreas como habitação popular.

 

“E aí você entenda Urbanismo como cimento, essas obras que eu considero mais cosméticas, gastou R$ 792 milhões. E para a habitação gastou R$ 37 milhões", ele sustentou sobre 2018, justificando não haver dados publicizados sobre o ano passado.

E continuou: "Quando você tem recursos para uma Beira Mar, para mudar asfalto desnecessariamente, para colocar em vias, em vez do asfalto, aquela cerâmica, aqueles bloquetes, que você gasta muito com isso, quase R$ 800 milhões, e para a moradia popular você consegue investir apenas R$ 37 milhões, não chegando a R$ 40 milhões, há de convir que há uma inversão de prioridades no que diz respeito ao atendimento dos mais necessitados."

Férrer inicou trajetória na política em 1987, ano no qual foi eleito para a Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), parlamento em que ficaria por quatro legislaturas consecutivas. Conquistou cadeira na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) em 2003. É de onde atua na política até hoje. Dos três governadores que se sucederam no período de Legislativo estadual, foi oposição a todos: Lúcio Alcântara (2003-2007), Cid Gomes (2007-2011) e Camilo Santana (2014-agora). Ele vai para quarta disputa ao Paço Municipal.

Com os mesmos valores em mãos, prosseguiu Heitor, teria feito "uma revolução" habitacional" na Capital, por meio da qual "os mais necessitados teriam acesso a sua casa própria através de mecanismos de construção de engenharia em que se faz a reciclagem do material da casa em que o cidadão mora, e você dá a casa digna de um ser humano.” Segundo ele, Fortaleza tem 187 mil famílias morando em terrenos irregulares ou precarizados.

Já passaram pela série de entrevistas Carlos Matos (PSDB), Célio Studart (PV) e Ferrucio Feitosa (PDT). Durante a entrevista, Matos também fez críticas sobre suposta preferência às áreas mais ricas da Cidade.

A oposição petista na Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) faz mesmo apontamento, por exemplo, além de Renato Roseno (Psol) e Capitão Wagner (Pros). O argumento deverá ser um dos principais usados pelos opositores da gestão e do grupo político liderados pelo PDT de Ciro, Cid e RC.

A saúde pública foi outro ponto abordado durante a conversa com Heitor Férrer. Para ele, o declínio dos números relativos ao coronavírus não pode ser superestimado, já que o Estado lidera o ranking de mortes por milhão. Há, porém, uma imprecisão na fala: o Ceará é o segundo em mortes por milhão, com 861, atrás de Roraima, com 878. O Estado registrou 185.409 confirmações do vírus e 7,9 mil mortos até 9h38min desta sexta-feira, de acordo com números da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa-CE).

Sobre política partidária, Férrer assumiu que passa por dificuldades para se coligar. Além do apoio financeiro e o tempo de cadeia em televisão e rádio, as alianças conferem aos partidos mais militância. O PDT é conhecido pelas amplas alianças. Capitão Wagner (Pros), por sua vez, já soma nove agremiações consigo.

Em 2012, Férrer ficou três pontos de tirar Roberto Cláudio (então candidato do PSB) do páreo contra Elmano de Freitas (PT). O rendimento declinou em 2016. Questionado sobre se será o candidato de 2012 ou 2016, nesse aspecto, disse: “A única maneira de você se sair bem em uma disputa é você trazer algo que sensibilize o eleitorado, que inove uma administração, que diga à sociedade que você tem condição de mudar o perfil da atual situação que vive o Município.”

Confira a lista dos próximos entrevistados, sempre de 9h05min às 9h30min:

Heitor Freire, PSL - 10/8 (segunda)
Idilvan Alencar, PDT - 11/8 (terça)
José Sarto, PDT - 12/8 (quarta)
José Batista, PSTU, 13/8 (quinta)
Luizianne Lins, PT - 14/8 (sexta)
Paula Virgínia, UP, 17/8 (segunda)
Renato Roseno, Psol - 18/8 (terça)
Salmito Filho, PDT - 19/8 (quarta)
Samuel Dias, PDT - 20/8 (quinta)
Capitão Wagner, Pros - 21/8 (sexta)
Alexandre Pereira, Cidadania - 24/8 (segunda)
Elcio Batista, PSB - 25/8 (terça)