PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Pré-candidato tucano, Carlos Matos diz que desigualdade social é problema central da gestão RC 

Tucano avalia que mobilidade urbana registrou avanços, mas que problema central, a desigualdade, ainda persiste

Carlos Holanda
11:59 | 04/08/2020
Pré-candidato pelo PSDB à Prefeitura, Carlos Matos em entrevista à rádio O POVO/CBN (Foto: Reprodução/Facebook)
Pré-candidato pelo PSDB à Prefeitura, Carlos Matos em entrevista à rádio O POVO/CBN (Foto: Reprodução/Facebook)

Segundo pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza a passar pela Rádio O POVO/CBN, o tucano Carlos Matos falou em investir em “mobilidade humana” na Cidade, numa referência óbvia ao conceito de mobilidade urbana, setor no qual a gestão de Roberto Cláudio (PDT) intensificou obras que, na avaliação dele, fizeram perder de vista outros problemas, como a desigualdade social. O estilo de frase tende a ser um dos motes da possível campanha tucana.

“Se cuida bem e muito bem da mobilidade urbana, mas não é cuidada a mobilidade humana. A miséria e a pobreza convivem ao lado da riqueza. De cada quatro fortalezenses, um é miserável ou pobre", arrematou Matos. "Isso parece que não tem nada a ver conosco, com a Cidade, mas fica uma Cidade doente", ele disse aos jornalistas João Marcelo, Ítalo Coriolano e Rachel Gomes.

O ex-deputado estadual defendeu que em um plano de governo e no cotidiano de um mandato há que se levar em consideração a criação de oportunidades para as camadas mais desfavorecidas. "Não vou gastar mais com a Beira Mar. Entre a Beira Mar e a favela, ele priorizou a Beira Mar", analisou o prefeiturável.

A crítica é cotada como a favorita entre os opositores do candidato pedetista - ainda indefinido -, no decorrer da campanha ao Executivo. Ferruccio Feitosa, Idilvan Alencar, José Sarto, Salmito Filho e Samuel Dias disputam o posto de defender o legado de RC como postulantes.

A oposição petista na Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), por exemplo, também alega que os oito anos de pedetismo são de privilégio aos territórios financeiramente mais favorecidos da Cidade.

Argumentação que ganha eco nos comentários da ex-prefeita Luizianne Lins (PT) e de Renato Roseno (Psol), outros dois pré-candidatos. Capitão Wagner (Pros) e Heitor Férrer (SD) também já teceram avaliações neste sentido.

Sobre a falta de unidade dentro do tucanato cearense quanto à candidatura própria, o pré-candidato do PSDB afirmou que vozes divergentes dentro de um partido são naturais, parte do processo democrático.

Em resposta ao editor de Política do O POVO, João Marcelo Sena, ele minimizou o pleito de Roberto Pessoa e Danilo Forte em prol do também pré-candidato na Cidade, Capitão Wagner. O policial militar da reserva é tido como principal opositor do grupo político da família Ferreira Gomes, apontado que é na dianteira de algumas pesquisas de intenção de voto.

No caso específico de Pessoa, Martos atribui as articulações ao contexto de Maracanaú, município no qual o líder do Pros seria forte. O entrevistado justificou que Pessoa, pré-candidato a prefeito de Maracanaú, está preocupado com as questões do município em que Wagner tem força. Pessoa, porém, é o principal líder político na cidade, governada pelo grupo político dele há 16 anos.

"Partido político que não tem diferença é porque tem dono, cacique. Pensamentos diferentes, visões diferentes. São estágios diferentes da vida política também. Eu estou na vida política e, se eu não tiver coragem de colocar o meu nome à disposição para defender propostas novas para Fortaleza, eu fiquei velho", defendeu Matos.

Todos os pré-candidatos ao Paço confirmaram participação na série de entrevistas da Rádio O POVO/CBN.

Confira os próximos entrevistados

Célio Studart, PV - 5/8 (quarta)
Ferruccio Feitosa, PDT - 6/8 (quinta)
Heitor Férrer, Sdd - 7/8 (sexta)
Heitor Freire, PSL - 10/8 (segunda)
Idilvan Alencar, PDT - 11/8 (terça)
José Sarto, PDT - 12/8 (quarta)
José Batista, PSTU, 13/8 (quinta)
Luizianne Lins, PT - 14/8 (sexta)
Paula Virgínia, UP, 17/8 (segunda)
Renato Roseno, Psol - 18/8 (terça)
Salmito Filho, PDT - 19/8 (quarta)
Samuel Dias, PDT - 20/8 (quinta)
Wagner, Pros - 21/8 (sexta)
Alexandre, Cidadania - 24/8 (segunda)
Elcio Batista, PSB - 25/8 (terça)

TAGS