PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Meios jurídicos lamentam a morte de Jucid Peixoto do Amaral

Órgão Especial do TJ aprovou voto de pesar e seccional cearense da OAB emitiu nota oficial

Filipe Pereira
17:08 | 09/07/2020
JUCID Peixoto do Amaral (Foto: TJCE/DIVULGAÇÃO)
JUCID Peixoto do Amaral (Foto: TJCE/DIVULGAÇÃO)

Morreu na tarde desta quinta-feira, 9, o desembargador Jucid Peixoto do Amaral. Nascido em 16 de julho de 1946, em Fortaleza, atualmente, atuava na 3ª Câmara de Direito Privado e era membro do Órgão Especial. Em 28 de janeiro de 2010 foi escolhido pelo Pleno do TJCE, pelo critério de merecimento, para o cargo de desembargador do Judiciário cearense. Tomou posse no dia 4 de fevereiro daquele ano.

Em homenagem, durante sessão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), o presidente da Corte, desembargador Washington Araújo, propôs voto de pesar, sendo acompanhado pelos representantes do Ministério Público do Ceará, da Defensoria Pública do Ceará e da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará (OAB-CE). O Judiciário cearense também determinou luto oficial de três dias.

A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) divulgou nota de pesar:

“A OAB-CE lamenta profundamente o falecimento do desembargador Jucid Peixoto do Amaral, aos 74 anos. O Magistrado foi membro da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, membro efetivo do Instituto dos Magistrados do Ceará e membro efetivo do Instituto dos Magistrados do Brasil. Além de ter exercido magistratura nas Comarcas de Cascavel e Iguatu. A Ordem se solidariza com a família e amigos nesse momento de dor”.

Além da nota oficial da entidade, o próprio presidente da OAB, Erinaldo Dantas, fez questão de se manifestar acerca da morte do desembargador. Para ele, é uma perda "irreparável". “Foi meu professor e, com toda a certeza, sempre será lembrado como uma referência jurídica. O desembargador Jucid foi um verdadeiro exemplo por seu grandioso trabalho e reconhecido pelo tratamento respeitoso à advocacia. Deixará saudades”, disse.

Trajetória

Nascido em 16 de julho de 1946, em Fortaleza, Jucid é filho de Cid Peixoto do Amaral e de Júlia Costa do Amaral. Ingressou na magistratura no cargo de juiz substituto, no dia 21 de janeiro de 1981, assumindo a Vara Única da Comarca de Ubajara e atingiu a vitaliciedade no dia 21 de fevereiro de 1983, ainda na mesma unidade judiciária.

Pelo critério de antiguidade, foi promovido para a Comarca de Viçosa do Ceará. Em 7 de maio de 1984 assumiu a comarca de São Benedito. Por merecimento, Jucid Peixoto foi promovido, em 18 de setembro de 1987, para a Vara Única da Comarca de Redenção, assumindo, em seguida, a titularidade da 2ª Vara da comarca de Iguatu.

Exerceu, ainda, a magistratura nas comarcas de Cascavel (1ª Vara) e de Fortaleza (2ª Vara de Delitos de Tráfico e Uso de Substâncias Entorpecentes). Foi presidente do 5º Tribunal do Júri de Fortaleza, juiz eleitoral da 112ª Zona Eleitoral e diretor das Turmas Recursais. Foi, ainda, professor de direito processual penal da Universidade de Fortaleza (Unifor), autor de artigos e obras jurídicas.