PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Coronavírus: movimentos adiam ato pró-governo no Brasil após pedido de Bolsonaro

Os movimentos em Fortaleza também divulgaram adiamento da manifestação, que estava marcada para as 16 horas do domingo, 15, na Praça da Imprensa.

Izadora Paula
23:01 | 12/03/2020
Manifestação pró-Bolsonaro na Praça Portugal em junho de 2019
Manifestação pró-Bolsonaro na Praça Portugal em junho de 2019 (Foto: Deísa Garcêz/Especial para O Povo)

Após o presidente Jair Bolsonaro pedir que as manifestações pró-governo e contra o Congresso sejam adiadas por causa do coronavírus, líderes dos principais movimentos decidiram adiar os atos que ocorreriam no próximo domingo, 15, no País, inclusive em Fortaleza. Mesmo com o adiamento, forte engajamento em redes sociais indica que alguns apoiadores ainda pretendem ir às ruas.

A confirmação do adiamento foi divulgada por Tomé Abduch, porta-voz do movimento Nas Ruas, um dos maiores do País. "Vamos seguir o pedido do governo federal. Decidimos criar uma hashtag no dia 15 e pedir que todos usem camiseta do Brasil. É um adiamento, não um cancelamento. Ainda não temos data para a próxima manifestação", disse Tomé, conforme o Estadão.

Os movimentos em Fortaleza também divulgaram adiamento da manifestação, que estava marcada para as 16 horas do domingo, 15, na Praça da Imprensa. O movimento Conexão Patriota utilizou o Facebook para informar da decisão. "Está aqui o Pronunciamento oficial do Presidente Bolsonaro, e com isso seguiremos a recomendação dele adiando a manifestação", diz trecho da publicação. Ainda segundo o texto, uma nova data deve ser divulgada em breve.

Adesão nas redes sociais continua

Apesar do pedido de Bolsonaro e do adiamento oficial, alguns usuários de redes sociais utilizaram seus perfis para confirmar presença nas manifestações. Na noite desta quinta-feira, 12, a hashtag #MeDesculpeJairEuVou esteve como o assunto mais comentado do Brasil no Twitter.

Os comentários dividiam-se entre pessoas que confirmavam presença e outras que criticavam o risco assumido pelos apoiadores do presidente.