PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Comissão rejeita negociar com Cabo Sabino e pede "pauta concreta" de PMs

Segundo membros da comissão, o ex-parlamentar não possui legitimidade para participar do processo; negociações pararam por falta de representante da categoria

Carlos Mazza
13:07 | 28/02/2020
Comissão com representantes dos Três Poderes e das Forças Armadas tenta resolver impasse entre governo e policiais
Comissão com representantes dos Três Poderes e das Forças Armadas tenta resolver impasse entre governo e policiais (Foto: Thais Mesquita/O POVO)

Comissão com membros dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Ceará cobrou nesta sexta-feira, 28, que movimento de paralisações dos policiais militares apresente uma “proposta factível” para a solução do impasse de reivindicações da categoria.

Leia também:

Não haverá anistia a policiais, diz procurador-geral do Estado

Os integrantes da comissão também se negaram voltar a negociações com o ex-deputado federal Cabo Sabino, que tem tomado a frente do movimento. Segundo eles, o ex-parlamentar responde a processo administrativo e não possui legitimidade para participar da mesa de negociações.

Pela manhã desta sexta-feira, 28, representantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Ceará voltaram a se reunir em comissão para tentar mediar uma solução para o impasse entre policiais e governo. Na noite desta quinta-feira, a categoria voltou a recusar proposta apresentada pelo Executivo.

A falta de interlocutores claros dos policiais, no entanto, tem prejudicado avanço dos acordos. No início do processo, uma proposta chegou a ser aprovada junto com representantes dos policiais, mas acabou descartada pela base da categoria horas depois.