PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Cinco PMs são afastados das funções após comentários na internet sobre reajuste salarial

As portarias de afastamento foram publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE)

18:44 | 21/02/2020
Fachada da Controladoria Geral
Fachada da Controladoria Geral (Foto: Fabio Lima)

Em meio à paralisação de militares estaduais, cinco portarias da Controladoria Geral de Disciplina (CGD) publicadas nessa quinta-feira, 20, determinam o afastamento de cinco policiais militares (PMs), sendo um cabo, dois soldados, um sargento e um subtenente. As portarias publicadas no Diário Oficial do Estado do Ceará (DOE) são referentes à publicações nas redes sociais dos respectivos PMs em virtude do reajuste salarial. O afastamento é de 120 dias. Os cinco militares terão a arma, identificação funcional, algema e qualquer outro instrumento de caráter funcional apreendido pela CGD.

Um dos policiais é o cabo Francisco André de Lima, que conforme o documento, aparece fardado e manifestando apoio a ao policial militar Márcio Wescley, que faz críticas ao governo do Ceará e às autoridades da Segurança Pública. Ainda conforme o Diário Oficial, o agente de segurança faz comentários de “apoio, solidariedade”, indicando que “não vai se calar”, além de expor insatisfação.

Já na outra publicação, que conforme o documento seria referente ao soldado Freire, o militar aparece de balaclava e óculos escuros. As imagens mostram uma figura do sexo masculino e, de acordo com a portaria,  faz referência à reestruturação salarial proposta pelo Governo do Estado do Ceará. A publicação teria sido feita no Facebook, por meio da página do soldado Noélio, que é deputado estadual. O vídeo foi postado em 08/01/2020, por volta das 17h34min, e é intitulado "Reestruturação salarial dos profissionais da Segurança não é piada!'. O referido soldado, conforme a publicação, faz comentários como: “Próxima quarta já é metade do mês”; “Oh palhaçada com a PM”; “O sentimento de revolta é grande”; “Tá bom de ajeitar as escalas dos destacamentos, são 72hs semanais, policiais escravos”; e “Aposto meu salário anual, como não vai anunciar nada”. Ele também foi afastado por 120 dias.

O soldado Freire ainda teria postado um vídeo em redes sociais tecendo críticas ao Governo do Estado e às autoridades da Segurança Pública por ocasião da divulgação da tabela de reestruturação salarial dos profissionais de Segurança Pública do Ceará, com o seguinte teor: “Batendo palma e dando os parabéns para o Governador do Estado do Ceará, Secretário de Segurança e para os Coronéis, isso mesmo… Um estudo muito responsável com toda responsabilidade feita e o governador só pode pagar ao Coronel a bagatela de R$ 4.896,00, só pode pagar isso ao Coronel, só pode pagar isso ao Coronel, mas ao sargentinho da Polícia Militar, o Governador, de forma responsável só pode pagar R$ 349,00… Bater palma ao Sr. Governador, Sr. Secretário de Segurança, para os Coronéis, para os Coronéis que foram os mais agraciados no estudo muito responsável. Vou deixar o recado para o Sr. Governador, para o Sr. Secretário de Segurança, a Polícia Militar é feita de homens e nós vamos juntar sim, para derrubar essa vergonha, Governador, essa vergonha que é essa reestruturação salarial… O senhor mais uma vez enganou um monte de pai de família, não são só coronéis que tem filho, que tem despesa, e tem família que se alimenta, os praças, os sargentos, também se alimentam… Soldado, R$ 725,00 em quatro vezes… Parabéns, Governador, o senhor está de parabéns… o senhor é um amigo, um parceiro, mas no final das contas, o senhor está se tornando um enrolão, parabéns, Governador”.

Outro militar, o sargento PM Eugêncio Constantino de Sousa, também foi afastado, depois de um comentário em rede social de uma publicação do deputado Soldado Noélio contra o chefe do Poder Executivo Estadual, além de incitar paralisação no âmbito da PMCE, postando o referido militar comentários com o seguinte conteúdo: “Ele governo...Só vai ouvir...Quando a segurança do estado estiver parado ...greve é uma realidade para os próximos dias... polícia parada já”, “A tropa tem se unir…pedir urgentemente o fim do IRSO…..das gratificações para as minorias que recebem….e um salário digno igual para todos, por categoria de classe…. diga não a IRSO...o governo merece uma resposta a altura da sua arrogância...”, “Não adianta discurso. Para esse Governo...guerreiros tem que a luta...infelizmente...terão que prejudicar a população...É toda responsabilidade desse governo o que acontecer, ele que está propondo isso…..Há outro meio....não sei ..acho que não. Greve. Greve. Greve. greve….”

O outro afastamento é referente ao subtenente José Airton Aguiar Bizerril, que fez comentários sobre o governador Camilo Santana, também em publicações nas redes sociais. "Esse governador é muito demagogo e sem palavras, prometeu ao BSP promoção da requerida e fica enrolando! Será que pensa que agente esquece! Paralisação agora pra acabar com a demagogia desse Governo demagogo”.

O último caso publicado na portaria dessa quinta trata-se do afastamento do soldado Rusemberg Vasconcelos Câmara, devido um vídeo compartilhado nas redes sociais, também com críticas ao governo do Ceará. O policial aparece de farda e faz comentários sobre a tabela de reestruturação salarial. Conforme o documento, os comentários são em tom "irônico" e "zombeteiro", com o seguinte relato abaixo:

“Depois de cinco anos sem reajuste, Governo disse que ia passar uns três a quatro meses fazendo estudo pra saber como é que tava a defasagem salarial dos policiais militares, dos bombeiros militares do Estado do Ceará. Depois de muito tempo fazendo estudo, depois de muito tempo fazendo uma análise e mais análises eles apresentaram ontem, dia primeiro de fevereiro de 2020 a tabela salarial, um reajuste. Quer dizer que depois de cinco anos sem reajuste, vocês passaram de quatro a cinco meses fazendo cálculos e vocês chegaram a aqueles números? Vocês estão de parabéns viu? Vocês estão de parabéns! Só posso agradecer, o Secretário André Costa, Governador Camilo Santana, rapaz, vocês se superaram! Vocês se superaram, vocês são nota dez! Nota dez! Não tenho que reclamar nada, valeu, obrigado. Vocês se superaram! Vocês se superaram, vocês são nota dez! Nota dez! Tá entendendo? É complicado, é complicado, vocês se garantiram, superaram todas as expectativas.”, reflete uma chacota ao Governo que afronta os pilares constitucionais a que estão sujeitos os profissionais da Segurança Pública".