PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Militar preso com cocaína fez 5 viagens no avião presidencial desde 2011; saiba quem é ele

O militar realizou cinco viagens no avião presidencial; três no governo Bolsonaro e dois na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff

16:00 | 26/06/2019
Avião presidencial
Avião presidencial(Foto: Planalto/Divulgação)

O militar preso com 39 kg de cocaína já tinha feito cinco viagens no avião presidencial. Identificado como Manoel Silva Rodrigues, ele foi preso na manhã desta terça-feira, 25, pela polícia espanhola, no Aeroporto de Sevilla. O segundo sargento é suspeito de tráfico de drogas e era tripulante do voo de transporte da equipe avançada que dava apoio à comitiva do presidente, Jair Bolsonaro (PSL). As informações são do O Globo.

O segundo sargento está lotado no Comando da Aeronáutica e seu salário bruto é de R$ 7.298,10. Fontes do governo brasileiro informaram que o militar deixou o País nesta terça-feira. Em março deste ano, ele também fez viagem como comissário do alto escalão da Presidência da República. No dia 29 de março, saiu com a equipe de Brasília rumo a São Paulo e fez escala em Vitória, no Espírito Santo, antes de retornar para Brasília. Em 27 de fevereiro, o sargento viajou para a capital paulista junto a Bolsonaro, quando o presidente foi realizar exames.  

Dos cinco deslocamentos feitos no avião presidencial, três foram no governo Bolsonaro e duas na gestão da ex-presidente, Dilma Rousseff (PT). 

Em novembro de 2011, o sargento foi um dos três militares, integrantes de uma missão de apoio ao Comandante da Aeronáutica em um deslocamento de dois dias para Buenos Aires, na Argentina. Em março de 2012, Manoel Silva foi designado para uma viagem de seis dias a Santiago, no Chile, também em apoio ao Comandante da Aeronáutica.

Redação O POVO Online